Classificada e só

Conquistar a Liga dos Campeões é uma obsessão para a Internazionale, que não quer completar 44 anos sem levantar a taça das grandes orelhas – especialmente tendo visto o troféu nas mãos do Milan por tantas vezes neste período. Foi por este objetivo, mais do que pelo tetracampeonato italiano, que o clube chamou José Mourinho. Terminada a fase de grupos, no entanto, a impressão deixada pelos ‘nerazzurri’ é para lá de negativa, especialmente se comparada ao bom desempenho no Campeonato Italiano, que o time lidera já com certa folga.

Duas derrotas consecutivas para times como Panathinaikos e Werder Bremen, que não são exatamente esquadrões, são preocupantes para quem tem um elenco como o da Inter. Nos 2 a 1 de Bremen, o time alemão parecia mais disposto a garantir o terceiro lugar e a vaga na Copa Uefa do que a Inter a terminar na primeira posição. Resultado: com a vitória do Panathinaikos, a equipe de Mourinho caiu para o segundo lugar. E todos os cinco possíveis adversários nas oitavas-de-final (Barcelona, Liverpool, Manchester United, Bayern de Munique e Porto) foram campeões europeus nesta década.

A Inter terminou com apenas 8 pontos – é o pior desempenho entre os 16 times classificados para as oitavas-de-final. Ano passado, com Roberto Mancini, concluiu a fase de grupos com 15 pontos, atrás apenas do Manchester United, que tinha feito 16.

Na Alemanha, Mourinho decidiu enfim dar um descanso a Ibrahimovic, mandando o sueco para o banco de reservas. Quaresma e Mancini, duas contratações que ainda não corresponderam, ganharam nova oportunidade como titulares, mas não nas posições às que estão habituados. O técnico de Setúbal preferiu manter o 4-3-1-2 que vinha funcionando nos últimos jogos da Série A, escalando Mancini como meia de ligação e Quaresma no ataque ao lado de Adriano. Foi um desastre, como comprovou o primeiro tempo tranqüilo para o goleiro Wiese.

‘Ibra’ entrou no intervalo, com o placar ainda em 0 a 0, mas a retaguarda não correspondeu e viu o Werder marcar duas vezes. No final, o sueco ainda deixou sua marca, acabando com um tabu de mais de um ano sem marcar pela LC.

Enquanto aguarda o que o destino lhe reservará no sorteio da próxima sexta-feira, a Inter vive com a dúvida: será maior o seu trauma na competição européia ou a autoconfiança de Mourinho, que insiste que a preocupação maior será de quem tiver de cruzar sem caminho nas oitavas?

É fato que a Inter fez seus melhores jogos da temporada em situações de maior exigência, como na vitória sobre a Juventus e nas visitas bem sucedidas a Roma e Lazio. O treinador ‘nerazzurro’ é um estudioso da Liga dos Campeões e tem várias páginas de anotações sobre cada possível rival.

Outro fator positivo é a inscrição de Walter Samuel em janeiro. O zagueiro argentino não entrou na lista para os grupos porque estava se recuperando de um longo afastamento por contusão, e seu retorno é uma garantia de segurança. Mourinho espera ainda poder contar mais vezes com Chivu, que na lateral-esquerda oferece mais capacidade de marcação que Maxwell.

A frase favorita em Appiano Gentile ao comentar o mau desempenho até agora na LC é “Em fevereiro se verá a verdadeira Inter”. Só que nas últimas temporadas a verdadeira Inter é a que tem fracassado na hora de decidir. Se não for Mourinho a mudar isso, difícil imaginar quem consiga.

Grupo a grupo

Confira um resumo da fase de grupos da LC:

Grupo A

Classificados: Roma e Chelsea
Copa Uefa: Bordeaux
4º lugar: Cluj

O Chelsea se classificou de forma sofrida, “à Scolari”, como mostra o histórico do treinador brasileiro. Na última rodada, os Blues venceram o Cluj por 2 a 1, em Stamford Bridge. Qualquer resultado teria servido, mas só porque a Roma venceu o Bordeaux na capital italiana.

No início da competição, parecia que a história seria totalmente diferente. O Cluj, estreante na LC, surpreendeu a Roma em pleno estádio Olímpico, enquanto o Chelsea goleou o Bordeaux por 4 a 0. No entanto, o fraco desempenho fora de casa (2 pontos em três jogos) comprometeu o time londrino, que acabou na segunda posição.

A Roma se reabilitou da má estréia com uma vitória sobre o Bordeaux, na França. Depois da esperada derrota na Inglaterra, o time de Luciano Spalletti engatou três vitórias consecutivas e mostrou ter deixado para trás a crise do começo da temporada. O Cluj não conseguiu manter o ritmo, e terminou a penúltima rodada condenado ao último lugar.

Grupo B

Classificados: Panathinaikos e Internazionale
Copa Uefa: Werder Bremen
4º lugar: Anorthosis Famagusta

O Panathinaikos somou apenas um ponto nos três primeiros jogos – derrotas para a Inter, em casa, e para o Anorthosis, no Chipre, seguidas por um empate em casa contra o Werder Bremen. Seria difícil apostar na classificação do time de Atenas, mas os comandados de Henk ten Cate reagiram em grande estilo, com três vitórias consecutivas, duas delas fora de casa.

Os gregos derrotaram o Bremen por surpreendentes 3 a 0, na Alemanha, e depois fizeram algo ainda mais inesprado: foram à Itália e derrotaram a Inter por 1 a 0. Na última rodada, precisando apenas empatar com o Anorthosis, venceram novamente por 1 a 0 e tomaram a primeira posição da Inter.

A campanha da Inter foi decepcionante, com apenas uma vitória nos três jogos em San Siro. A classificação chegou de forma antecipada, na penúltima rodada, mas o time encerrou o grupo com duas derrotas consecutivas.

O Anorthosis estava em ótima posição no penúltimo jogo, quando vencia o Bremen por 2 a 0, mas cedeu o empate e ficou em situação difícil. Com o revés em Atenas, acabou caindo para a última posição e se despedindo da Europa em sua primeira participação na LC.

Grupo C

Classificados: Barcelona e Sporting
Copa Uefa: Shakhtar Donetsk
4º lugar: Basel

O grupo mais monótono da LC. Os dois classificados já eram conhecidos na quarta rodada, e o primeiro lugar já estava definido a favor do Barcelona na penúltima, tornando amistosos os dois últimos jogos.

A falta de emoções se justifica pela deficiência do Basel – que só entrou na fase de grupos por causa de um erro de arbitragem contra o Vitória de Guimarães na preliminar – e pelas duas vitórias por 1 a 0 do Sporting sobre o Shakhtar no confronto direto, eliminando os ucranianos a duas rodadas do fim.

Amplamente superior aos rivais, o Barça marcou 18 gols, média de três por jogo. Destes, 12 foram fora de casa, incluindo goleadas sobre o Basel (5 a 0) e sobre o Sporting (5 a 2). Números que ajudam a credenciar o time de Pep Guardiola entre os favoritos ao título.

Grupo D

Classificados: Liverpool e Atlético de Madrid
Copa Uefa: Olympique de Marselha
4º lugar: PSV

No papel, parecia o “grupo da morte”. Na prática, não foi bem assim. Liverpool e Atlético passearam contra os rivais e fizeram com que a disputa fosse apenas pelo primeiro lugar. Nos dois jogos entre eles, dois empates por 1 a 1 – um deles com um pênalti polêmico marcado para o Liverpool nos acréscimos, em Anfield.

O que fez a diferença foi o tropeço do Atlético contra o Olympique, na França, na última rodada. O Liverpool venceu os dois jogos diante dos franceses e também os dois contra o PSV, fechando com 14 pontos, dois a mais que os ‘colchoneros’.

Olympique e PSV travaram uma briga particular pela vaga na Copa Uefa, e o time holandês levou a pior. Em desvantagem no confronto direto depois de vencer em casa por 2 a 0 e perder fora por 3 a 0, o PSV não poderia perder para o Liverpool em casa se quisesse ter chances de terminar em terceiro.

Grupo E

Classificados: Manchester United e Villarreal
Copa Uefa: Aalborg
4º lugar: Celtic

Mais um grupo com desequilíbrio entre os dois classificados e os outros times. Villarreal e Manchester United empataram por 0 a 0 (pela quarta vez consecutiva na LC) e se classificaram juntos na penúltima rodada.

O Aalborg empatou com o Celtic na Escócia e venceu em casa, garantindo com um jogo de antecipação a vaga na Copa Uefa.

Na última rodada, o United não passou de um empate por 2 a 2 com o Aalborg em Old Trafford, mas assegurou a primeira posição por causa da derrota do Villarreal para o eliminado Celtic em Glasgow.

Grupo F

Classificados: Bayern de Munique e Lyon
Copa Uefa: Fiorentina
4º lugar: Steaua Bucareste

A incapacidade da Fiorentina de vencer em casa (2 pontos em três jogos) custou ao time italiano a chance de brigar pela classificação. Na primeira rodada, os italianos chegaram a abrir 2 a 0 sobre o Lyon na França, mas cederam o empate. Quando conseguiu enfim vencer um jogo, contra o Steaua, na última rodada, só bastou para garantir a vaga na Copa Uefa.

O jogo entre Lyon e Bayern de Munique, pela última rodada, valia apenas para definir a primeira posição. O Bayern, que jogava por um empate com gols, fez melhor e venceu por 3 a 2, depois de terminar o primeiro tempo vencendo por 3 a 0.

Grupo G

Classificados: Porto e Arsenal
Copa Uefa: Dynamo Kiev
4º lugar: Fenerbahçe

A decepção do grupo foi o Fenerbahçe, que saiu das quartas-de-final da última temporada para uma eliminação com apenas 2 pontos na atual. O Dynamo Kiev parecia bem colocado na briga por uma das vagas, mas se complicou ao ceder a virada nos minutos finais para o Porto, em casa, na quarta rodada.

A vitória na Ucrânia mudou a sorte dos portistas, que haviam perdido por 1 a 0 no estádio do Dragão para o mesmo Dynamo, na rodada anterior. Com a vitória sobre o Fenerbahçe na Turquia e a derrota dos ucranianos para o Arsenal, o Porto garantiu a classificação antecipada.

Na última rodada, Porto e Arsenal jogaram pelo primeiro lugar. O Arsenal podia até empatar, mas perdeu por 2 a 0 e caiu para a segunda colocação.

Grupo H

Classificados: Juventus e Real Madrid
Copa Uefa: Zenit St. Petersburg
4º lugar: BATE Borisov

Quem esperava ver o Zenit, campeão da Copa Uefa, desafiando os favoritos do grupo se decepcionou. O time russo até deixou boa impressão na derrota por 1 a 0 para a Juventus, na estréia, mas perdeu em casa para o Real Madrid e não passou de um empate com o BATE Borisov, mostrando que o terceiro lugar era seu limite.

Os dois confrontos entre Juventus e Real Madrid foram os grandes jogos da fase de grupos. A Juve venceu ambos, com um Alessandro Del Piero inspirado e arrancando aplausos até da torcida rival no Santiago Bernabéu. Depois, foi só administrar o primeiro lugar, assegurado com o empate diante do BATE na última rodada.

O Real Madrid começou com o técnico Bernd Schuster e terminou com Juande Ramos, que estreou na vitória por 3 a 0 sobre o Zenit, pela última rodada.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo