Barça, a nova fábrica de craques?

por Airton Pimentel Junior

Sabemos que o Barcelona sempre formou craques, mas não tantos como hoje em dia. Começando por um passado recente, nos casos de Xavi Hernández e Carles Puyol. O primeiro tem uma técnica incrível, um exímio domínio de bola. O segundo, nem tanto, mas tem garra, determinação e aspiração como poucos, o que lhe torna um ídolo na Catalunha.

Porém, os casos recentes do clube são o que mais chama a atenção, das últimas três temporadas até os dias atuais. Especialmente os mundialmente conhecidos Lionel Messi, Andrés Iniesta e Francesc Fàbregas, hoje no Arsenal. Três jogadores vindos das categorias de base do clube, a famosa “cantera”, que já figuram em seleções das ligas nacionais que disputam e também em seleções do mês no futebol do continente europeu.

Messi e Iniesta, sem sombra de dúvidas, foram os grandes destaques da péssima temporada passada realizada pelo clube, o que não lhes tirou o brilho e a grandeza de suas atuações. Sobretudo de Messi, que fez um gol antológico, mas Iniesta não fica atrás. É um dos novos comandantes do forte meio campo blaugrana. Ainda junto a eles, temos o bom zagueiro Piqué, mais um jogador formado pelas canteras e que foi vendido ao Manchester United, Piqué atuou bem no Mundial sub-20 com a Fúria.

Atualmente, na pré-temporada, o clube proporciona ao mundo seus novos craques e jogadores aquém dos outros, mas com alta técnica. É o caso de Marc Valiente, excelente zagueiro, e Marc Crosas, bom e versátil meio campista, desde já sujeito a comparações com o ídolo catalão Pep Guardiola. Mais um, que é um verdadeiro menino: Bojan Krkic, de apenas dezesseis anos, talentoso, rápido, técnico e fino jogador, encantou a todos em suas partidas na Escócia com o clube, e agora é destaque da seleção espanhola sub-17 que disputará o Mundial da categoria.

E por último, a maior estrela até então, pelo seu alto proveito junto do clube na pré-temporada: Giovani dos Santos, mexicano de apenas dezoito anos. É chamado de clone de Ronaldinho por muitos, mas não é difícil discorrer dessa forma, já que ele fascinou a todos também com as partidas que vem fazendo no time principal, e fazia com Bojan uma dupla que encantava no time B do clube. Hoje, ao lado de Ronaldinho, é o destaque e artilheiro da pré-temporada do clube, com quatro jogos e três gols. É de maravilhar mesmo.

Mas o que mais brilha dentre eles é Messi, o mais visado, e ao mesmo tempo o mais “experiente” entre eles. Mesmo com a pouca idade, seu caminho está sendo planado de uma forma com que, em um futuro próximo, faça dele o melhor do mundo.

Como é de caráter na Europa, alguns desses jogadores não surgem no clube, são levados para lá ainda crianças, entre 10 e 14 anos. É o caso de Messi e Iniesta, um provindo do Newell’s Old Boys e outro do Albacete.

Enfim, como será que “las canteras” criam e aperfeiçoam esses talentos precoces? Qual é a metodologia usada, para exacerbar e lucrar ao máximo as suas técnicas? Esses são trunfos em que os grandes clubes europeus estão investindo, mas é preciso agregar o talento de jovens com a experiência de jogadores mais rodados.

Será o Barcelona o time mais prestigioso no futuro? Isso só saberemos com o tempo, mas o caminho está sendo traçado corretamente.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo