Balanço do primeiro turno da Ligue 1

Para servir de aquecimento para o returno da Ligue 1, o Futebol Europeu fez uma breve análise de como foi o primeiro turno de Lyon, Bordeaux, Rennes, Paris Saint-Germain, Olympique de Marselha e Lille, os seis primeiros colocados na tabela de classificação. Desses times, certamente sairá não apenas o campeão da temporada 2008/09, mas, também, os classificados para a próxima Liga dos Campeões e a próxima Copa da UEFA.

LYON – 1º colocado (38 pts)

Embora tenha encerrado o turno na liderança, com 38 pontos ganhos, o Lyon esteve longe de empolgar na primeira metade do campeonato. Lesões, improvisações e a falta de padrão tático foram a tônica do atual heptacampeão durante as 19 rodadas iniciais. Para se ter uma idéia, o técnico Claude Puel, que não tem sido nem sombra do “milagreiro” dos tempos de Lille, jamais repetiu a mesma formação por duas partidas seguidas. O tradicional 4-3-3 lionês perdeu espaço para o 4-2-3-1 e, até mesmo, para um engessado 4-4-2.

Karim Benzema, mesmo com problemas físicos e sem contar com companheiros ofensivos confiáveis – Kader Keita, Fred e Frédéric Piquionne simplesmente inexistiram –, foi, como de praxe, o principal destaque da equipe, que chegou a ficar quatro jogos sem vencer entre a 15ª e a 18ª rodada. No returno, será imprescindível que os comandados de Puel ganhem consistência e, acima de tudo, padrão tático caso realmente queiram o tão sonhado octa. Afinal, Bordeaux e Rennes já mostraram que não estão para brincadeira.

Raio X

Colocação: 1º colocado (38 pts)
Campanha: 11V, 5E, 3D, 23GP, 12GC
Campanha em casa: 6V, 3E, 0D (3ª melhor campanha)
Campanha fora de casa: 5V, 2E, 3D (melhor campanha)
Maior seqüência invicta: 7 jogos
Maior jejum de vitórias: 4 jogos
Maior número de vitórias consecutivas: 5
Maior número de derrotas consecutivas: –
Artilheiro: Karim Benzema (10 gols)
Destaque: Karim Benzema
Decepção: Fred
Revelação: Anthony Mounier
Melhor jogo: Lyon 3 x 0 Toulouse (1ª rodada)
Pior jogo: Rennes 3 x 0 Lyon (8ª rodada)
Time-base (4-3-3): Lloris; Réveillère (Mensah), Cris, Boumsong (Bodmer), Grosso; Juninho, Toulalan, Makoun; Govou (Keita), Benzema, Ederson (Fred)

BORDEAUX – 2º colocado (35 pts)

Liderado pelo meia Yoann Gourcuff, de volta ao país após passagem frustrante pelo futebol italiano, o Bordeaux mostrou ser um forte concorrente ao título. Donos do segundo melhor ataque e da segunda melhor campanha em casa, os Marine et Blanc não deixaram que a participação na Liga dos Campeões afetasse o desempenho na Ligue 1, e garantiram a vice-liderança ao final do primeiro turno. Laurent Blanc, já em sua segunda temporada sob o comando do time, comprovou que, de fato, conhece do riscado.

O zagueiro senegalês Souleymane Diawara e o atacante argentino Fernando Cavenaghi – vice-artilheiro do certame com 11 gols – também brilharam, sendo essenciais numa campanha ilustrada por dez vitórias e apenas quatro derrotas. Para que o sonho do título se mantenha vivo, contudo, será preciso que, de agora em diante, a equipe tenha melhor sorte frente aos outros postulantes à taça: no turno, a turma de Blanc apenas empatou com Rennes e Olympique de Marselha, e saiu derrotada diante de Lyon e Paris Saint-Germain.

Raio X

Colocação: 2º colocado (35 pts)
Campanha: 10V, 5E, 4D, 31GP, 19GC
Campanha em casa: 6V, 3E, 0D (2ª melhor campanha)
Campanha fora de casa: 4V, 2E, 4D (5ª melhor campanha)
Maior seqüência invicta: 7 jogos
Maior jejum de vitórias: 3 jogos
Maior número de vitórias consecutivas: 3
Maior número de derrotas consecutivas: –
Artilheiro: Fernando Cavenaghi (11 gols)
Destaque: Yoann Gourcuff
Decepção: Yoan Gouffran
Revelação: Abdou Traoré
Melhor jogo: Monaco 3 x 4 Bordeaux (19ª rodada)
Pior jogo: Nancy 1 x 0 Bordeaux (12ª rodada)
Time-base (4-1-3-2): Ramé (Valverde); Chalmé, Planus, Diawara, Jurietti (Trémoulinas); Diarra; Menegazzo (Gouffran), Gourcuff, Wendel; Bellion (Chamakh), Cavenaghi

RENNES – 3º colocado (34 pts)

O início do Rennes na Ligue 1 2008/09 não empolgou: nas duas primeiras rodadas, um empate, em casa, com o Olympique de Marselha (4 a 4) e uma derrota para o recém-promovido Grenoble (1 a 0). No entanto, nem mesmo o mais fanático torcedor bretão poderia imaginar o que estava por vir… Com uma impressionante invencibilidade de 17 partidas, os comandados do técnico Guy Lacombe fizeram do Stade de la Route de Lorient um de seus principais trunfos, e finalizaram o turno na terceira colocação.

Além da belíssima campanha em casa, os Rouge et Noir se destacaram pela consistência de seu sistema defensivo, vazado em apenas 13 oportunidades. Ratificando o belíssimo trabalho de base feito pelo clube, jovens como Fabien Lemoine, Stéphane M’bia, Jimmy Briand e Moussa Sow deram conta do recado e, respaldados pela pontual experiência dos veteranos Jérôme Leroy e Mickäel Pagis, contribuíram diretamente para o êxito. O time, todavia, precisa parar de acumular empates. Até o momento, foram dez (!).

Raio X

Colocação: 3º colocado (34 pts)
Campanha: 8V, 10E, 1D, 24GP, 13GC
Campanha em casa: 6V, 4E, 0D (melhor campanha)
Campanha fora de casa: 2V, 6E, 1D (8ª melhor campanha)
Maior seqüência invicta: 17 jogos
Maior jejum de vitórias: 3 jogos
Maior número de vitórias consecutivas: 3
Maior número de derrotas consecutivas: –
Artilheiro: Mickäel Pagis (6 gols)
Destaque: Mickäel Pagis
Decepção: Sylvain Wiltord
Revelação: Uwe Echiejile
Melhor jogo: Rennes 3 x 0 Lyon (8ª rodada)
Pior jogo: Rennes 1 x 1 Le Havre (5ª rodada)
Time-base (4-2-3-1): Douchez; Fanni, Mangane, Hansson, Bocanegra; Lemoine, M’bia (Cheyrou); Leroy (Danzé/Sow), Pagis, Thomert (Echiejile/Kembo-Ekoko); Briand

PARIS SAINT-GERMAIN – 4º colocado (33 pts)

Ao contrário da temporada passada, quando brigou ferrenhamente para não cair, o Paris Saint-Germain acertou nas contratações e fez bonito no primeiro turno. Mesmo tendo perdido pontos cruciais em seu estádio – derrotas para Grenoble e Toulouse; empate com o Valenciennes –, a equipe do contestado Paul Le Guen adquiriu consistência suficiente para bater adversários qualificados como Lyon, Bordeaux e Olympique de Marselha. Quarta colocada, estaria classificada à Copa da UEFA se o campeonato terminasse hoje.

Trazidos durante o mercado de verão, Claude Makélélé, Ludovic Giuly, Stéphane Sessegnon e Guillaume Hoarau corresponderam às expectativas. Juntos, aliás, os três últimos foram responsáveis por 17 dos 24 gols marcados pelo time – ao lado de Cavenaghi, o até então desconhecido Hoarau, buscado no Le Havre, é o vice-artilheiro da Ligue 1. A rodagem do elenco, repleto de jogadores que já defenderam a seleção francesa, poderá ser uma arma numa eventual briga pelo título. “Sonhar não custa nada”, diria Paulinho Mocidade.

Raio X

Colocação: 4º colocado (33 pts)
Campanha: 10V, 3E, 6D, 24GP, 17GC
Campanha em casa: 6V, 1E, 2D (6ª melhor campanha)
Campanha fora de casa: 4V, 2E, 4D (4ª melhor campanha)
Maior seqüência invicta: 4 jogos
Maior jejum de vitórias: 3 jogos
Maior número de vitórias consecutivas: 3
Maior número de derrotas consecutivas: 2
Artilheiro: Guillaume Hoarau (10 gols)
Destaque: Stéphane Sessegnon
Decepção: Mateja Kezman
Revelação: Guillaume Hoarau
Melhor jogo: Olympique de Marselha 2 x 4 PSG (10ª rodada)
Pior jogo: PSG 0 x 1 Grenoble (7ª rodada)
Time-base (4-2-3-1): Landreau; Ceará, Camara, Traoré (Sakho), Armand; Makélélé, Clément (Luyindula); Giuly (Pancrate), Sessegnon, Rothen; Hoarau

OLYMPIQUE DE MARSELHA – 5º colocado (32 pts)

Um revés por 3 a 0 diante do modesto Nancy, em pleno Velódrome, na última rodada do turno, fez com que o Olympique de Marselha caísse da vice-liderança para a quinta colocação. E essa, diga-se de passagem, foi apenas uma das decepções promovidas pela equipe – que também fracassou na Liga dos Campeões – ao longo do semestre. Ainda assim, a pequena distância em relação ao Lyon faz com que os pupilos do técnico Eric Gerets, criticados publicamente pelo presidente Pape Diouf, mantenham as chances de título.

Com os até pouco tempo selecionáveis Hatem Ben Arfa e Mathieu Valbuena alternando bons e maus momentos, coube a Karim Ziani o papel de ser a referência do time. Versátil, o argelino foi utilizado em todas as funções do meio-campo, evidenciando que a ausência de padrão tático segue sendo um problema. Mas, caso Ben Arfa e Valbuena voltem aos seus melhores dias, Gerets defina um parceiro confiável para Hilton no miolo de zaga e, claro, a dupla Niang-Koné possa atuar junto com maior regularidade, tudo tende a melhorar.

Raio X

Colocação: 5º colocado (32 pts)
Campanha: 8V, 3E, 3D, 33GP, 24GC
Campanha em casa: 5V, 2E, 3D (7ª melhor campanha)
Campanha fora de casa: 3V, 6E, 0D (2ª melhor campanha)
Maior seqüência invicta: 9 jogos
Maior jejum de vitórias: 3 jogos
Maior número de vitórias consecutivas: 3
Maior número de derrotas consecutivas: –
Artilheiros: Ben Arfa, Koné e Niang (6 gols)
Destaque: Karim Ziani
Decepção: El Amin Erbate
Revelação: –
Melhor jogo: Grenoble 0 x 3 Olympique (15ª rodada)
Pior jogo: Olympique 2 x 4 Paris Saint-Germain (10ª rodada)
Time-base (4-3-1-2): Mandanda; Bonnart, Zubar, Hilton, Taiwo; Ziani, Cana (M’bami), Cheyrou; Ben Arfa (Valbuena); Niang, Koné

LILLE – 6º colocado (32 pts)

Numa temporada que se desenhava complicada após a saída do técnico Claude Puel para o Lyon, o Lille contrariou a lógica e, com um futebol vistoso e ofensivo, deixou ótima impressão no primeiro turno. Méritos, principalmente, de Rudi García, novo comandante da equipe. Ex-jogador do próprio clube, ele não sentiu a pressão de substituir Puel, e, graças à mesma filosofia que fez do Le Mans o time mais simpático da Ligue 1 passada, deu nova cara aos Dogues, que buscam voltar a disputar a Liga dos Campeões.

No 4-3-3 de García, a referência é o extremo-esquerdo brasileiro Michel Bastos, autor de nove gols até aqui. Ludovic Obraniak, Yohan Cabaye e a sensação belga Eden Hazard (nascido em 1991) evoluem a cada dia, enquanto Florent Balmont, buscado no Nice, tem substituído à altura o camaronês Jean II Makoun. Pequenos ajustes defensivos e uma solução para o comando de ataque – Túlio de Melo, Robert Vittek e Pierre-Alain Frau vêm sofrendo com lesões – podem fazer com que esse retorno à Europa seja uma ótima possibilidade.

Raio X

Colocação: 6º colocado (32 pts)
Campanha: 8V, 3E, 3D, 28GP, 19GC
Campanha em casa: 6V, 3E, 1D (4ª melhor campanha)
Campanha fora de casa: 2V, 5E, 2D (10ª melhor campanha)
Maior seqüência invicta: 9 jogos
Maior jejum de vitórias: 3 jogos
Maior número de vitórias consecutivas: 3
Maior número de derrotas consecutivas: 2
Artilheiro: Michel Bastos (9 gols)
Destaque: Michel Bastos
Decepção: Franck Béria
Revelação: Eden Hazard
Melhor jogo: Monaco 0 x 2 Lille (7ª rodada)
Pior jogo: Lille 1 x 3 Le Mans (2ª rodada)
Time-base (4-3-3): Malicki; Debuchy, Rami, Plestan (Béria/Chedjou), Emerson (Tafforeau); Balmont, Mavuba, Cabaye; Obraniak, Vittek (de Melo/Fauvergue/Frau), Michel Bastos

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo