Auxerre

Nome do clube: Association de la Jeunesse Auxerroise
Apelido: AJA
Estádio e cidade: Abbé-Deschamps, Auxerre
Time-base: Sorin, Hengbart, Coulibaly, Mignot e Grichting; Pedretti e Ndinga; Oliech (Contout), Le Tallec e Birsa; Jelen
Treinador: Jean Fernandez
Principais títulos: 1 Campeonato Francês e 4 Copas da França
Momento histórico na Europa: Pela primeira vez participa da Liga dos Campeões. Melhor campanha do time nas copas europeias foi na Copa Uefa de 1992/93.

O Auxerre era considerado um clube médio na França. Até tivera algumas boas participações em competições europeias – principalmente na Copa Uefa 1992/93, quando só caiu nas semifinais, para o Borussia Dortmund -, mas jamais chegara perto de sonhar com a Liga dos Campeões. Quanto mais estar na fase de grupos do torneio. Tudo mudou em 2009/10, sob o comando de Jean Fernandez.

Comandando uma base mudada pouquíssimas vezes, Fernandez conseguiu a proeza de superar várias equipes mais tradicionais, como Bordeaux ou Rennes, para disputar as primeiras posições da tabela com Lyon e Olympique de Marselha. Não conseguiu o título, mas teve de consolo a terceira posição. Que lhe deu o direito de ir aos play-offs da LC, onde enfrentou o Zenit. Perdeu em São Petersburgo, mas o desempenho mostrou que ir à fase de grupos não era tão impossível assim. E a tarefa foi cumprida, em casa.

Para chegar pela primeira vez a tal estágio, Fernandez mudou apenas algumas coisas na equipe: de um 4-4-1-1, sistema básico na Ligue 1 2009/10, o técnico alterou o time para um 4-2-3-1. Além disso, o suíço Grichting, que costumava jogar no miolo de zaga, tomou a lateral esquerda de Jeremy Berthod. No meio-campo, Contout, que atuava pelo meio, foi para a direita. Só não mudaram as posições dos três principais jogadores: Valter Birsa chega ao ataque pela esquerda, Anthony Le Tallec, o principal reforço para a Liga, arma as jogadas pelo meio, e Ireneusz Jelen é o finalizador principal.

Provavelmente, não será o suficiente para passar da fase de grupos, onde coube ao time ser o elo fraco do difícil grupo G. Entretanto, o entrosamento que a base do time atingiu não deve ser desprezado.

Elenco

1 – Olivier Sorin (G), FRA, 29
2 – Cédric Hengbart (D), FRA, 30
4 – Stéphane Grichting (D), SUI, 31
5 – Dariusz Dudka (M), POL, 26
6 – Adama Coulibaly (D), MLI, 29
7 – Kamel Chafni (M), MAR, 288 – Anthony Le Tallec (A), FRA, 25
9 – Valter Birsa (A), ESQ, 24 10 – Alexandre Licata (A), FRA, 26
11 – Julien Quercia (A), FRA, 24
12 – Jean-Pascal Mignot (D), FRA, 29
14 – Dennis Oliech (A), QUE, 25
15 – Frederic Sammaritano (M), FRA, 24
16 – Rémy Riou (G), FRA, 23
17 – Benoît Pedretti (M), FRA, 29
18 – Roy Contout (A), FRA, 25
20 – Amadou Sidibe (D), MLI, 24
21 – Steeven Langil (M), FRA, 22
22 – Ireneusz Jelen (A), POL, 29
23 – Jérémy Berthod (D), FRA, 26
25 – Maxime Bourgeois (A), FRA, 19
27 – Alain Traoré (M), BUR, 22
29 – Delvin Ndinga (M), CGO, 22
30 – Willy Maeyens (G), FRA, 21
35 – Paul-Georges Ntep De Madiba (A), FRA, 18

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo