As 10 maiores contratações da temporada

Fernando Torres (Espanha)
Atlético de Madrid/ESP -> Liverpool/ING

Aos 23 anos, “El Niño” parecia ter esgotado sua margem de evolução no Atlético de Madrid, onde sempre foi ídolo inquestionável. No Liverpool, além de uma possibilidade mais concreta de conquistar troféus, ainda poderá se provar longe dos mimos colchoneros. Com três gols nos primeiros quatro jogos pela Premier League, já caiu nas graças do público de Anfield e começou a justificar a bagatela de € 36 milhões investida em sua transferência.

Thierry Henry (França
Arsenal/ING -> Barcelona/ESP

Henry era sonho antigo do Barça – talvez tivesse ido no ano passado, se os Gunners não tivessem chegado à final da Liga dos Campeões. Sobre o valor pago pelos catalães, € 24 milhões, as opiniões se dividem. Uns consideram uma pechincha, por se tratar de um craque consagrado. Outros, um investimento arriscado. Henry já tem 30 anos e tem histórico de lesões nas últimas temporadas. Sua chegada à Catalunha levantou questões sobre a possibilidade de atuar ao lado de Ronaldinho, Messi e Eto'o. A resposta foi temporariamente adiada pela lesão que tirou o camaronês de ação por dois meses.

Arjen Robben (Holanda)
Chelsea/ING -> Real Madrid/ESP

O presidente Ramón Calderón cumpriu, com um ano de atraso, uma de suas promessas de campanha. Gastou € 36 milhões para fazer de Robben o quinto reforço mais caro da história do clube, atrás apenas de Zidane, Figo, Ronaldo e Beckham. O talentoso holandês de 23 anos perdeu espaço no Chelsea com a mudança de esquema promovida por José Mourinho após as chegadas de Shevchenko e Ballack, mas também é verdade que a falta de seqüência de jogos, motivada por problemas físicos, o prejudicou na última temporada.

Franck Ribéry (França)
Olympique de Marselha/FRA -> Bayern de Munique/ALE

Ribéry era objeto de desejo desde sua ótima participação na Copa do Mundo de 2006, que praticamente o apresentou ao cenário internacional. Contrariando a política de gastos contidos em temporadas anteriores, o Bayern abriu os cofres e pagou € 26 milhões ao Olympique de Marselha pelo jogador de 24 anos, conhecido como “Scarface” por causa da cicatriz que leva no rosto, conseqüência de um acidente automobilístico na infância. As expectativas sobre Ribéry eram otimistas, mas ainda assim foram superadas pelas primeiras atuações do francês no time bávaro, brilhante no início da Bundesliga.

Wesley Sneijder (Holanda)
Ajax/HOL -> Real Madrid/ESP

Considerado o armador de que o time de Bernd Schuster precisava, Sneijder chegou ao Real Madrid para completar um trio de titulares da seleção holandesa, ao lado de Van Nistelrooy e Robben. Meia clássico, exímio cobrador de faltas, mostrou serviço logo de cara. Foi o melhor em campo na goleada de 5 a 0 sobre o Villarreal, pela segunda rodada da Liga, marcando duas vezes. O Ajax tentou bater o pé na pedida de € 30 milhões, mas o Madrid levou por € 27 milhões.

Nani (Portugal)
Sporting/POR -> Manchester United/ING

Do mesmo clube em que foi buscar Cristiano Ronaldo aos 17 anos, o United levou Nani. Aos 20 anos, o meia-atacante custou pouco mais de € 20 milhões aos Red Devils. Integrante da seleção principal de Portugal desde o ano passado, Nani tem sido aproveitado por Alex Ferguson. Ele marcou o gol da primeira vitória do time na Premier League – 1 a 0 sobre o Tottenham Hotspur. As contratações de Nani e do brasileiro Anderson, ex-Porto, confirmam a crescente influência do português Carlos Queiroz, auxiliar de Ferguson, no mercado do clube.

Miroslav Klose (Alemanha)
Werder Bremen/ALE -> Bayern de Munique/ALE

Klose jogar no Bayern era questão de tempo. Estava tudo certo para 2008, quando terminaria o contrato com o Werder Bremen, mas o Bayern liberou € 15 milhões para antecipar a chegada do artilheiro da Copa do Mundo de 2006, que já havia se indisposto com a direção e alguns dos companheiros no time verde. Aos 28 anos, Klose vê no Bayern o espaço ideal para confirmar seu posto entre os maiores goleadores do continente.

Luca Toni (Itália)
Fiorentina/ITA -> Bayern de Munique/ALE

Chuteira de Ouro, campeão mundial, 47 gols na Série A nas últimas duas temporadas. Credenciais que fizeram Luca Toni, aos 30 anos, enfim chegar a um gigante europeu. Negociado pela Fiorentina por € 11 milhões, marcou em cada uma das três primeiras partidas do Bayern na Bundesliga. Toni liderou um êxodo de atacantes italianos para o exterior. Cristiano Lucarelli foi para o Shakhtar Donetsk, e Rolando Bianchi para o Manchester City.

Carlos Tevez (Argentina)
West Ham/ING -> Manchester United/ING

A temporada 2006/7 foi intensa para Tevez. Contratado pelo West Ham em circunstâncias controversas, superou um período de adaptação difícil e se transformou no herói da permanência do time londrino na Premier League. A transferência para o Manchester United se concretizou mediante escrutínio das autoridades do futebol. Em Old Trafford, teve de estrear antes do esperado, e não como gostaria: substituindo Wayne Rooney e sendo obrigado a fazer uma função que não é exatamente sua preferida, no comando do ataque.

Florent Malouda (França)
Lyon/FRA -> Chelsea/ING

Malouda foi a exceção em um mercado modesto do Chelsea, que mudou sua postura em relação a anos anteriores, quando José Mourinho parecia ter um cheque em branco à disposição. O Lyon recebeu € 20 milhões. Aos 27 anos, titular da seleção francesa, Malouda é a melhor opção para a esquerda do ataque, podendo também atuar como segundo atacante ou meia de ligação.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo