Alguns sons

Após a rodada encerrada no último sábado (25), apenas 14 rodadas restam. Se um time vencer todas as partidas, junta 42 pontos ao seu portifólio. E pelo menos três grupos se formam na classificação e vou chamá-los com nome de músicas.

O primeiro grupo podemos chamar de “Stairway to Heaven” (clássico do Led Zeppelin). São as equipes que estão no G-4 ou que podem entrar nele em uma rodada. A derrota do Sport frente ao Bahia fez com que ele não entrasse neste grupo seleto. A característica de Coritiba, Bahia, América-MG, Figueirense e Ponte Preta é que eles se candidatam seriamente ao acesso, com destaque para o Coxa que, embalado com a volta para casa, abriu seis pontos de vantagem para a Ponte Preta, a quinta colocada, o que conta muito nesta fase do campeonato. É a chamada gordura. Bahia e Ponte estão com viés de alta, o Coelho parece se recuperar de uma oscilação e o Figueirense terminou de queimar suas gorduras.

O segundo bloco vou batizar de “Should I Stay or Should I Go” (clássico do The Clash). São times que nas próximas rodadas se definirão entre a briga pelo acesso, pela permanência na Série B ou se estacionarão na gloriosa zona do agrião. Num espectro que vai dos 37 pontos aos 32 estão Sport, Duque de Caxias, São Caetano, Portuguesa, Náutico, Guaratinguetá e Paraná. Combinação de dois resultados positivos ou dois negativos pode significar a mudança de grupo destas equipes. Destaque para as boas arrancadas de Sport e Duque e para a queda de rendimento de Náutico, Portuguesa e Paraná.

E finalmente, o terceiro grupo é o “Down In a Hole” (clássico grunge do Alice In Chains). São os times que estão na ZR ou que estão na alça de mira dela. Eles estão compreendidos entre os 29 e os 18 pontos: ASA, Icasa, Bragantino e Vila Nova fora da ZR; Brasiliense, Santo André, América-RN e Ipatinga dentro dela. Destaque para a situação do Ipatinga, distante dez pontos da saída da zona, numa situação difícil de reverter. Chegamos àquele momento do campeonato em que as tendências começam a se definir e também a trilha sonora de cada equipe.

Pó de Guaraná

* Fazia tempo que não via uma atuação tão desastrosa de um bandeirinha. Márcio Gleidson Correia Dias do Pará conseguiu errar a marcação de pelo menos quatro impedimentos. Um deles, resultou no gol de Anderson Aquino do Paraná, que estava em posição legal. O jogo em questão acabou com Vila Nova e Paraná empatados em dois gols.

* A rodada foi boa para o Coritiba, que além de bater o ASA, contou com tropeço da Ponte Preta, o que concedeu uma gordura de seis pontos dentro do G-4.

* Foi Dodô se contundir para a Portuguesa cair novamente de rendimento após ter ensaiado reação. Outro que perdeu o embalo foi o Náutico, que cada vez mais se distancia de onde esteve.

* Jogador destaque da semana: Tcheco, meia do coritiba. Anderson Simas Luciano tem 34 anos e começou a carreira no Paraná Clube, passou pelo futebol chinês, Esportivo e Malutrom. Esteve em 2002 e 2003 no Coritiba e passou depois por Al-Ittihad, Santos, Grêmio e Corinthians, retornando ao Coxa. Dele, saíram os dois passes para os gols de Pereira na vitória de 2 a 0 sobre o ASA.

Eco da semana

Na rodada do último final de semana, o Bahia bateu o Sport em plena Ilha do Retiro por 2 a 1. Na primeira fase de 2005, quem se deu bem foi o Sport. Era a 19ª rodada e o Leão bateu o Tricolor por 3 a 2 numa virada incrível. Dill, aos 9 minutos abriu a contagem para os visitantes. Rodriguinho, hoje no Santos, fez o segundo aos 14 do segundo tempo. O Sport virou com Éder aos 32 e dois gols do centroavante Jadílson aos 35 e aos 44 do segundo tempo. Naquele ano, o Bahia caiu para a Terceirona e o Sport se salvou da degola por ter uma vitória a mais que o Vitória, que também acabou caindo.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo