Afirmações e Surpresas na LC

As oitavas de final da Liga dos Campeões serviram para confirmar algumas teses e quebrar paradigmas. Afirmações importantes ficaram por conta de Barcelona e Manchester United. O time catalão segue em fase irretocável. Na temporada passada, o time venceu o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Super Copa da Espanha, a Super Copa Europeia, o Mundial de Clubes da Fifa e, acima de tudo, a Liga dos Campeões.

Na atual temporada, o time segue firme rumo aos títulos mais importantes. No campeonato nacional, divide a liderança com o Real Madrid. Na Champions, sempre que entra em campo mostra seu poder. A vitória por 4 a 0 sobre o Stuttgart no Camp Nou só veio corroborar a tese de que o time de Pep Guardiola é grande favorito para vencer, mais uma vez, a competição continental.

A fase de Messi é mais um sinal de que vai ser difícil tirar o bicampeonato dos blaugranas. O time mais indicado para bater de frente com o Barcelona é o Manchester United. A boa campanha dos Red Devils também se deve muito a um outro craque em grande fase. Wayne Rooney é cada vez mais o dono da equipe, e assumiu a responsabilidade sem titubear.

Por coincidência, também foi uma vitória por 4 a 0 em casa — mas contra o Milan — que elevou o United ao patamar de grande favorito ao lado do Barça. E, naquelas ironias do destino, as equipes foram sorteadas em chaves diferentes e só poderão se enfrentar na final, o que seria uma repetição da temporada passada.

Mais uma tese confirmada é a de que o Lyon é o maior pesadelo do Real Madrid. Brincadeiras à parte, o que realmente fica evidente é que não basta um elenco milionário para vencer títulos. Os madridistas pecam muito mais pela forma de administração, que pretere planejamentos a longo prazo em detrimento a resultados imediatos baseados em investimentos milionários. Transformando isso em números, foram seis técnicos nas últimas seis temporadas. E muitas, muitas contratações galácticas. Nada disso adiantou, foram seis eliminações nas oitavas de final da LC consecutivas.

Quem surpreendeu foi a Internazionale. Surpresa talvez na seja a melhor palavra. Na realidade, os nerazzurri quebraram um estereótipo. Desde a temporada 2005/2006, o time italiano não chegava às quartas de final da Liga dos Campeões. Dominante em seu país, a Inter não conseguia se impor no continente. Até por isso, muitos davam como favas contadas a classificação do Chelsea.

Muitos, mas não José Mourinho, Sneijder, Eto’o e cia. Com duas partidas irretocáveis, a Internazionale conseguiu duas vitórias e mais do que representar a sua torcida nas quartas, a equipe luta para não deixar a Itália perder uma vaga para a Alemanha na Champions. E o sorteio foi bom para a Inter. A equipe vai enfrentar o CSKA, azarão dessa fase. O time russo, aliás, ao eliminar o Sevilla, confirmou mais uma tese: a de que o time espanhol é mestre em cair diante de times “batíveis”.

Entre afirmações e surpresas, o torneio de clubes mais importante do mundo segue nos dias 30 e 31 de março, quando terão início as quartas de final. Quem confirmará o bom momento, e quem passará pelos favoritos, só saberemos nos dias 6 e 7 de abril. Para constar, os confrontos serão: Lyon e Bordeaux, clássico francês de clubes que jamais conquistaram a LC, e Manchester United contra Bayern de Munique, duelo da gigantes e que disputaram a final em 1999. Os vencedores se enfrentam em uma semifinal.

Na outra chave, Barcelona e Arsenal fazem uma repetição da final de 2006 e colocam frente a frente os clubes que jogam o futebol mais bonito da Europa. São três títulos do Barça e nenhum dos Gunners no torneio. Quem vencer enfrenta Internazionale ou CSKA, no confronto mais desequilibrado, portanto o mais propício a surpresas, das quartas de final.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo