A reação está concretizada

O Milan viajava para Munique sob pressão. Afinal de contas, no jogo de ida das quartas de final da Liga dos Campeões 2006/07, o time de Carlo Ancelotti não passara de um empate por 2 a 2 com o Bayern Munique. Isso, em San Siro. Restava vencer na Allianz Arena – tarefa difícil, pela pressão da torcida. Pois os milanistas exibiram uma segurança notável. Fizeram 2 a 0 ainda no primeiro tempo. Garantiram a classificação. E ali começaram a virar favoritos para o título que conquistariam, por fim.

A Internazionale não exibiu a mesma segurança que o arquirrival. Ou, melhor dizendo, exibiu tanta insegurança quanto o Bayern. Porque, se Breno e Van Buyten formaram uma dupla de zaga altamente insegura, dando espaço para Eto'o (impedido) fazer 1 a 0, Júlio César novamente cometeu uma falha séria, que possibilitou o empate de Mario Gómez.

Desde então, estava dada a partida para a alta pressão dos bávaros. Que viraram, com Thomas Müller. E só não conseguiram ampliar o placar de modo decisivo para a classificação ora por incompetência, ora pelas boas defesas de Júlio César. E, bem ou mal, Sneijder e Eto'o continuavam trazendo perigo à temerária zaga do Rekordmeister.

Azar dos alemães. Porque, no segundo tempo, a Inter medrosa do primeiro tempo transformou-se numa equipe valente. Que, puxada pelo espírito destemido e altamente elogiável de Eto'o, começou a tentar cada vez mais jogadas de ataque. Conseguiu o empate, com Sneijder. Viu o Bayern desistir de atacar, com Robben, o principal destaque ofensivo dos Roten, dando lugar a Hamit Altintop. E, por fim, conseguiu o gol da classificação empolgante, com Pandev – surpreendentemente, o ponto fraco do ataque, nesta quarta.

Assim como o rival da cidade, ao eliminar o Bayern, os Nerazzurri ganham uma força gigantesca para continuarem na disputa do título da Liga dos Campeões. Podem não ganhar – aliás, é o mais provável. Mas, tendo em vista o estado melancólico com que o time encerrou 2010, a despeito do título mundial, pode-se dizer que a reação experimentada pela equipe sob o comando de Leonardo está concretizada. Afinal, o time que parecia condenado a fazer uma temporada mediana ainda briga nas três competições que ganhou em 2009/10. E briga sério.

Já o Manchester United conseguiu mais uma vitória enganadora. Sim, enganadora. Por mais que tenha conseguido a classificação, o time de Alex Ferguson cometeu exatamente o mesmo erro que o eliminou, na Liga dos Campeões passada: recuou demais, em pleno Old Trafford. Conseguiu a vaga porque é eficiente, e porque é melhor do que o Marseille. Mas, caso o sorteio lhe reserve um rival peso-pesado nas quartas, delas não deverá passar, jogando assim.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo