A Premier League ofereceu, logo em sua primeira rodada, o confronto entre dois clubes com potencial e qualidade para se firmarem na parte superior da tabela. Sheffield United e Wolverhampton saíram da Championship não faz muito tempo, mas vêm de ascensão marcante e a temporada passada levou ambos à disputa das vagas nas copas europeias. Mesmo em Bramall Lane, porém, os Lobos provaram que têm um trabalho mais consistente e em condições melhores de incomodar as potências. Na semana em que Nuno Espírito Santo renovou seu contrato, seus comandados fizeram um início de partida sufocante e logo abriram caminho ao triunfo por 2 a 0 contra as Blades.

Os dois gols do Wolverhampton saíram logo nos primeiros seis minutos de partida, indicando o ritmo totalmente distinto das equipes após o pontapé inicial. Aos três minutos, Daniel Podence disparou pela esquerda e cruzou para Raúl Jiménez bater de primeira, tirando do alcance do goleiro Aaron Ramsdale. O mexicano forçaria uma defesaça do novo arqueiro do Sheffield United logo na sequência, mas o segundo não tardaria. Na cobrança de escanteio, Pedro Neto levantou a bola na área e Roman Saïss concluiu de cabeça.

O início perfeito permitiu que o Wolverhampton se defendesse com segurança e impediu qualquer reação do Sheffield United durante o primeiro tempo. Rui Patrício não seria muito ameaçado. As Blades aumentaram sua agressividade na segunda etapa, encontrando mais espaços e arriscando mais. John Fleck quase recolocou os anfitriões no jogo, ao acertar a trave com um chute cruzado aos seis minutos. Na sobra, Conor Coady ainda afastaria na pequena área a tentativa de George Baldock.

Entretanto, se o Sheffield saía mais ao ataque, também dava espaços aos contragolpes. E o Wolverhampton não seria totalmente passivo, ainda tentando construir um placar mais favorável. Aos 25 minutos, Saïss forçou uma grande defesa de Ramsdale, em tiro que bateu na trave, e Jiménez desperdiçou o rebote com a meta aberta. Adama Traoré também teria uma grande arrancada travada pela marcação, enquanto Jiménez ainda triscou a trave numa cabeçada. De qualquer maneira, a pressa era das Blades e os anfitriões incomodariam no fim. Na melhor chance, Saïss salvou em cima da linha a finalização de Oli McBurnie.

O resultado é extremamente positivo ao Wolverhampton, até pensando na importância que pode ter ao futuro da Premier League. Mais um sinal de que o projeto segue no caminho certo, com a intensidade aplicada logo de cara pelo time de Nuno Espírito Santo. Já ao Sheffield United, se a derrota não indica necessariamente uma queda em relação à última campanha, ressalta como os adversários estarão muito mais preparados para visitar Bramall Lane.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore