O Liverpool de Jürgen Klopp se caracterizou por ser um time de alta intensidade, sempre com um ataque forte. Nem sempre seguro na defesa, especialmente em jogos que não tinha espaço para correr. Nesta temporada, o time pode não jogar de forma envolvente, mas ao menos tem conseguido resultados. Nesta sexta-feira, venceu o Wolverhampton fora de casa por 2 a 0, com tranquilidade, graças a uma defesa que não sofreu.

LEIA TAMBÉM: Após viralizar nas redes, torcedor cego é convidado por Salah para conhecer o Liverpool

O time da casa, comandado pelo português Nuno Espírito Santo, armou o time com três zagueiros, em um 3-5-2. Privilegiou os alas e Matt Doherty, pela direita, foi quem mais se destacou. Apesar disso, os Wolves sofreram bastante em campo.

Com problemas de lesão no time, Klopp escolheu James Milner para ficar na lateral. Joe Gomez, zagueiro que pode atuar por lá, e Trent Alexander-Arnold, o titular da posição, estavam indisponíveis por lesão. Mostra um pouco também da falta de confiança em Nathaniel Clyne, que ficou no banco.

No meio-campo, Jordan Henderson formou dupla com Fabinho, com Keita um pouco mais adiantado. Mais uma vez, Mohamed Salah foi o jogador mais à frente do Liverpool, à frente de Roberto Firmino, que jogou atrás do egípcio. É um posicionamento que tem sido comum no time dos Reds.

Aos 18 minutos, descida fatal do Liverpool. Fabinho apareceu pela direita, foi à linha de fundo e cruzou para trás, rasteiro. Salah, pelo meio, tocou de peito de pé esquerdo e marcou 1 a 0. Foi o primeiro ataque realmente perigoso do Liverpool. Salah chegou a 11 gols na Premier League e, assim, assumiu  a artilharia da liga, deixando para trás Pierre-Emericj Aubameyang.

O problema é que o Wolverhampton não conseguia coordenar bem as jogadas. O Liverpool, defensivamente, formava uma barreira difícil de transpor. Além disso, o time visitante mantinha a posse de bola e esfriava o jogo – que tinha chuva, já gelando um pouco mais a temperatura.

No segundo tempo, aos 13 minutos, o Liverpool cobrou um escanteio curto pela esquerda, trabalhou a bola, Robertson cruzou alto, a zaga tirou e a bola sobrou para Salah. O egípcio cruzou para a área, da direita, e encontrou Van Dijk, que tocou de primeira para marcar 2 a 0. Se o zagueiro já fazia um grande jogo defensivamente, ainda ajudou no ataque também.

Os 2 a 0 permitiram ao Liverpool atuar em contra-ataques, o que deu a Salah uma chance no um contra um. O time, porém, nem precisou ficar acelerando muito. Conseguiu manter o controle do jogo quando atacava e mantinha a bola sob o seu domínio para ter o tempo a seu favor.

Isso até os 43 minutos, quando um cruzamento para a área fez Robertson se atrapalhar na jogada, perder o tempo da bola, e errou. A bola ficou viva dentro da área e Morgan Gibbs-White teve a chance, mas chutou para fora. No último lance do jogo, a defesa do Wolverhampton bobeou, Willy Bolly acabou perdendo a bola para Salah, mas uma dividida fez com que a bola sobrasse para Wijnaldum, mas o holandês chutou fora.

A vitória mantém o Liverpool na liderança da Premier League. O time chega a 48 pontos, enquanto o Wolves tem 25.

LEIA TAMBÉM: Cinco embates memoráveis do passado que se reeditarão nas oitavas da Champions