A seleção camaronesa terá mentalidade holandesa para o próximo ciclo. Neste sábado, a federação local confirmou a contratação de Clarence Seedorf como novo técnico dos Leões Indomáveis. E a ligação com o passado da Oranje não para por aí. Seu assistente será o companheiro na equipe semifinalista na Copa de 1998, Patrick Kluivert. Duas crias do Ajax que tentarão reerguer Camarões após a decepção recente nas Eliminatórias da Copa, quando o país não conquistou a classificação, mesmo sendo o atual campeão da Copa Africana de Nações.

Campeão da CAN 2017, o belga Hugo Broos deixou o cargo em dezembro, sem ter o seu contrato renovado, e se tornou diretor de futebol do Oostende. Alexandre Belinga assumiu interinamente durante o primeiro semestre, disputando dois amistosos à frente dos Leões Indomáveis. Enquanto isso, a federação local fez um “anúncio” sobre o emprego e aguardou os treinadores que se candidatariam à vaga. Recebeu 77 respostas, incluindo as de diversos medalhões – como Carlos Queiroz, Lothar Matthäus, John Toshack e Raymond Domenech. Nos últimos dias, os dirigentes locais confirmaram as conversas com Sven-Goran Eriksson, que não frutificaram. Assim, Seedorf surgiu como uma alternativa.

Seedorf possui três experiências como técnico, todas elas sob pressão. Durou meses em um Milan que cambaleava. Depois, não conseguiu conquistar o acesso à primeira divisão do Campeonato Chinês com o Shenzhen e também ganhou o bilhete azul. Por fim, na última temporada, chegou a um Deportivo de La Coruña ameaçadíssimo pelo rebaixamento e que também convivia com a má gestão. Não fez milagre, saindo ao final da temporada. Agora, mais responsabilidade, mirando a próxima Copa Africana de Nações.

Kluivert, por sua vez, possui um pouco mais de rodagem no banco de reservas. Foi assistente em AZ, Brisbane Roar e NEC, além de treinar a base do Twente, antes de acompanhar Louis van Gaal na seleção holandesa que chegou às semifinais da Copa de 2014. Depois, assumiu a seleção de Curaçao, com a qual acumulou resultados históricos, embora não tenha continuado no cargo rumo à disputa da Copa Ouro. Antes disso, seguiu à base do Ajax e trocaria de emprego novamente para ser diretor de futebol do Paris Saint-Germain. Permaneceu como dirigente até o fim da temporada 2016/17, quando os parisienses contrataram Antero Henrique para o seu cargo.

A curto prazo, o maior desafio de Seedorf e Kluivert estará nas eliminatórias da CAN 2019, em que poderão preparar o time. Afinal, por mais que dispute o qualificatório, o país já está classificado por ser a sede do torneio. Então, virá a maior cobrança por resultados, diante da responsabilidade dos Leões Indomáveis. Não será das tarefas mais fáceis. Contudo, as expectativas se elevam por aquilo que a dupla poderá produzir, especialmente se quiser resgatar as raízes dos tempos em que atuavam.