Seb Lewis se tornou um ícone nas arquibancadas de The Valley, o estádio do Charlton, mas outras tantas torcidas conheciam o fanático ao redor da Inglaterra. A partir de 1998, o torcedor não perdeu uma partida sequer de seu clube do coração, presente em todos os compromissos dentro e fora de casa, por qualquer competição. Em novembro de 2018, Lewis atingiu os mil jogos consecutivos. Sustentava a marca de 1.076 duelos assistidos in loco em 22 anos de assiduidade, até que a suspensão da League One por conta do coronavírus parasse sua série. A partir desta sexta, Lewis estará presente apenas nas lembranças em The Valley. Aos 38 anos, o inglês se tornou mais uma vítima da doença.

Ainda no início de março, Lewis demonstrou sua preocupação, tanto com a situação sanitária quanto com o seu recorde. Ele era contrário à realização dos jogos com portões fechados, sobretudo pelo impacto financeiro nos clubes menores. “A ideia de que minha longa série de jogos consecutivos com o Charlton pode estar nas mãos do governo (seja agora, daqui a algumas semanas ou meses) não é a sensação mais confortável”, escreveu, em suas redes sociais. Em 23 de março, Lewis confirmou seu teste positivo e informou que precisaria usar um respirador artificial. O inglês de 38 anos tinha asma, o que agravou o seu quadro e o levou a óbito.

Com uma bela mensagem, o Charlton prestou sua homenagem a Seb Lewis: “Estamos verdadeiramente devastados ao descobrir o falecimento de um dos mais dedicados, leais e populares torcedores, Seb Lewis, com apenas 38 anos. Seb era o coração e a alma da família Charlton e tinha muito orgulho de seu feito, ao assistir cada jogo desde fevereiro de 1998. Os pensamentos de todos no clube estão com a família de Seb neste momento difícil. Obrigado, Seb, por sua lealdade e dedicação ao Charlton. The Valley e cada setor visitante ao redor do país nunca serão os mesmos sem você. Descanse em paz”.

Diversos jogadores e antigos ídolos do Charlton publicaram mensagens nas redes sociais, relembrando Seb Lewis. Já o gesto mais bonito veio dos próprios torcedores. Ao redor da cidade, diversas bandeiras e camisas do clube apareceram nas janelas, em sinal de tributo e também de apoio à orientação sobre o distanciamento social. Batizaram a ação de “Fique em casa por Seb”. A torcida do Charlton tem atuado bastante em meio à pandemia, sobretudo com doações de alimentos aos necessitados na região.

A família de Seb Lewis, em especial, agradeceu o apoio massivo oferecido neste momento difícil. “Eu sabia que ele era muito popular no clube, mas o que está acontecendo agora é uma demonstração de absoluta adoração e estamos muito, muito emocionados com todos que enviaram palavras sobre Seb”, declarou Lionel Lewis, pai do fanático, ao site do Charlton. O irmão Ollie foi outro grande incentivador da paixão e estava com Seb em sua primeira visita ao estádio, em 1993, aos 12 anos.

Quando Seb Lewis iniciou sua sequência de partidas, em fevereiro de 1998, o Charlton estava prestes a conquistar o acesso à Premier League após oito anos de ausência na elite. A promoção veio de maneira memorável, nos playoffs da segundona: após o empate por 4 a 4 em Wembley, os Addicks superaram o Sunderland nos pênaltis e selaram a comemoração. Aquele foi o 16° jogo no recorde. Desde então, a equipe viveu momentos bons e ruins, com direito a sete temporada consecutivas na primeira divisão e os problemas financeiros que a levaram à terceirona. Lewis nunca titubeou e sempre se manteve fiel.

Em 2018, quando completou seu milésimo jogo nas arquibancadas, Seb Lewis recebeu uma homenagem no gramado do estádio The Valley. O torcedor ilustre foi recebido pela diretoria e ganhou uma camisa autografada pelo elenco. “A melhor parte de torcer para o Charlton é o sentimento de comunidade. O que os torcedores fizeram para levar o clube de volta a The Valley. Existem tantas pessoas fantásticas no clube”, declarou, na época. Seb era uma dessas pessoas fantásticas. E a torcida ao redor dos Addicks reforça esse senso de comunidade no adeus.