Serie C2, 16 de novembro de 2003. Diante de 1.400 torcedores, o Sangiovannese, dirigido pelo então desconhecido Maurizio Sarri, enfrentava o Aglianese, do recém-aposentado Massimiliano Allegri. Aquele jogo acabaria empatado por 0 a 0, o que ajudou na percepção que os dois times – e seus técnicos – não tinham muito a mostrar. Quem poderia imaginar que, anos depois, os dois protagonizariam a briga pelo Scudetto e seriam dois dos principais técnicos da Itália?

“Ninguém acreditava em nós naquela época”, afirmou Sarri, em um evento que marcava os 100 anos da sua cidade natal, Figline. “Aquele jogou acabou em 0 a 0, sem gols, nenhum chute no alvo. Ao final do jogo, um amigo disse para mim: ‘Se vocês dois podem ser técnicos, qualquer um pode ser…’”, contou o atual treinador da Juventus.

“Eu espero e acredito que ainda exista algo em mim daquele Sarri. O espírito é o mesmo, eu não mudei a forma como eu abordo futebol. As emoções que eu senti em Sangiovannese x Montervachi é algo que eu raramente senti na minha carreira, nem mesmo em finais internacionais”, continuou Sarri.

Aos 60 anos, Sarri tem muita história como técnico, mas a maior parte dela foi em níveis mais baixos. Sua carreira como técnico começou em 1990 no Stia, e passaria ainda por Faellese, Cavriglia, Antella, Valdema, Tegoleto e Sansovino, quando ganhou o seu primeiro título, a Copa da Série C, em 2003. Foi naquele ano que assumiu o comando do Sangiovannese e enfrentaria Allegri na Serie C2 na temporada 2003/04.

De lá, Sarri foi para o Pescara, passou por Arezzo, Avellino e Verona, quando o time estava na terceira divisão. Dirigiu ainda o Perugia, o Grosseto, Alessandria e Sorrento, antes de chegar àquele trabalho que mudou a sua vida: o Empoli. Ficou no clube de 2012 a 2015 e não só levou a equipe à primeira divisão quando jogava um futebol atraente e interessante. O Napoli o contrato em 2015 e, daí em diante, o mundo do futebol passou a conhecer o estilo do treinador.

Allegri é mais jovem que Sarri. Tem 52 anos e foi jogador de futebol de 1984 a 2003, quando se aposentou na Aglianese e tornou-se treinador no próprio clube. Ainda treinou a Spal, Grosseto, Sassuolo, Cagliari e chegou ao Milan em 2010 e conquistou o último Scudetto dos rossoneri, que tinha, na época, Zlatan Ibrahimovic, que acertou a volta ao clube para janeiro de 2020.

Demitido no início de 2014, Allegri acabou na Juventus na temporada seguinte e escreveu belos capítulos pela Velha Senhora, com cinco títulos da Serie A, quatro Copas da Itália, suas Supercopas Italianas e finalista duas vezes da Champions League. Deixou a Juventus ao final da temporada passada, abrindo espaço justamente para Sarri assumir, depois da experiência na Inglaterra com o Chelsea.