A possibilidade de Lionel Messi deixar o Barcelona mexeu com o mercado do futebol, mas o técnico do atual campeão inglês, o Liverpool, tratou de descartar qualquer possibilidade de contratar o argentino. Jürgen Klopp chegou a rir da possibilidade de leva-lo a Anfield, mas gostaria de vê-lo na Premier League.

“Interesse? Quem não quer ter Messi no seu time? Mas sem chance”, respondeu Klopp sobre a possibilidade dos Reds fazerem uma tentativa. O Manchester City, principal rival do Liverpool nas duas últimas temporadas na disputa pelo título, é neste momento considerado um dos destinos mais prováveis para o argentino, até por ter Pep Guardiola como técnico, com quem trabalhou no Barcelona e conquistou a Champions League em 2009 e 2011, entre tantos títulos, e um clube com rios de dinheiro para gastar.

Além de Guardiola, o Manchester City tem parte da estrutura que foi vencedora na Catalunha, com o diretor de futebol Txiki Begiristain, ex-jogador e dirigente do Barcelona, e o diretor-executivo, Ferrán Soriano, outro que participou do primeiro período de Guardiola no clube do Camp Nou. Uma estrutura que certamente passa mais credibilidade para Messi do que quem está atualmente no comando dos blaugranas.

“Isso obviamente ajudaria o Manchester City e os tornariam ainda mais difíceis de serem vencidos, o que já era muito difícil. Para a Premier League seria ótimo, 100%, ter o melhor jogador do mundo na liga. Os números não são para nós. Nós não temos nem que começar a pensar nisso. Sem chance, mas bom jogador, para ser honesto”, disse o treinador do Liverpool.

“Eu não tenho certeza que a Premier League precise de um impulso, mas seria um impulso, certamente”, analisou Klopp. “Seria interessante de ver também. Messi nunca jogou em outra liga, além da Espanha. Eu gostaria de ver isso, mas não sei se verei”, continuou o alemão.

Além do Manchester City, outros clubes são especulados para levar o argentino. O Manchester United, rival direto do City na cidade, é o clube mais rico da Premier League, apesar dos últimos anos ruins, e é um dos destinos falados. O PSG, que tem um dos bolsos mais fundos do mundo com o Catar como donos, também é candidato, embora seja uma atratividade menor em termos esportivos, além de já ter Neymar – que é um salário monumental para se pagar. Se fala também na Inter de Milão, embora o clube não tenha donos tão ricos quanto Manchester City e PSG e não possa gastar tanto pelo Fair Play Financeiro. Falamos sobre essas possibilidades neste texto.

De qualquer forma, se Messi for para o Etihad Stadium e se tornar jogador do Manchester City, Klopp terá um desafio ainda maior para fazer com que seu time termine à frente dos Citizens. Além, claro, de finalmente sabermos se Messi conseguiria jogar em uma noite chuvosa em Stoke (mesmo que o Stoke não esteja mais na primeira divisão).