O uso de estatísticas no futebol ainda engatinha, e dá para entender os motivos. O jogo é muito fluido, com ações que se repetem pouco e, por isso, é difícil avaliar a relevância de muitos números. Mas crescem as tentativas de aprofundar o uso da matemática para desvendar aspectos desconhecidos do esporte. E o AZ pretender ser um dos líderes desse processo.

LEIA TAMBÉM: Por que o esporte americano não é parâmetro para defender ou atacar o mata-mata no futebol

Nesta terça, o clube holandês anunciou a contratação de Billy Beane como consultor. Quem? Oras, Billy Beane, norte-americano, diretor esportivo do Oakland Athletics e ícone do uso de estatísticas avançadas no beisebol. Se ainda não identificou, sua história foi o centro do filme Moneyball – O Homem que Mudou o Jogo, e ele foi interpretado por Brad Pitt.

Seu trabalho se notabiliza pelo uso de números para descobrir virtudes em jogadores pouco valorizados no mercado, permitindo a montagem de equipes competitivas a baixo custo. E é isso o que ele tentará fazer no AZ.

A relação entre o beisebol e o futebol é pequena, mas nesse caso faz sentido. Beane é um amante de futebol e vinha, nos últimos anos, estudando formas de como os princípios que aplica no beisebol poderiam se inserir no soccer. Além disso, Robert Eenhoorn, diretor geral do AZ, fez sua vida no beisebol, como jogador (com passagem pelo New York Yankees), técnico (da seleção holandesa) e cartola (na federação de seu país). O futebol entrou em seu currículo apenas em outubro de 2014, quando foi contratado pelo clube de Alkmaar.


Os comentários estão desativados.