A preocupação financeira que hoje paira sobre os clubes da Premier League devido à paralisação da competição pode em breve dividir espaço com a preocupação física. Isso porque um estudo conduzido por uma plataforma de previsão de lesões via inteligência artificial mostrou uma chance 25% de os jogadores se contundirem com o calendário pensado para o reinício do torneio.

No status atual, a Premier League seria retomada entre 19 e 26 de junho. Com o calendário apertado, haveria um congestionamento de datas, com o Manchester City, por exemplo, tendo que jogar 13 partidas em 49 dias, equivalente a oito jogos em um mês.

A Zone7, plataforma especializada em previsão de risco de lesões e que trabalha com 35 clubes profissionais ao redor do mundo, aponta que disputar oito partidas em um período de 30 dias aumenta a incidência de lesões em 25% em comparação com quatro ou cinco jogos no mesmo intervalo, a média em tempos normais.

As informações utilizadas pela Zone7 para o seu estudo são coletadas a partir de milhões de pontos de dados, tirados de rastreadores físicos usados durante treinos e partidas, combinadas com testes físicos dos atletas, históricos de lesões e até mesmo padrões de sono coletados ao longo do tempo.

Por mais que para a realidade que temos aqui no Brasil oito partidas em um mês não pareçam o fim do mundo, apenas 4% dos jogadores observados pela Zone7 passam por uma situação de jogar tantos jogos em um período tão curto dentro de uma temporada.

Além da preocupação com o congestionamento de jogos, outro fator que piora a situação é a rápida transição de treinamentos individuais para os trabalhos em grupo, de maior intensidade, protocolo seguido por todos os clubes na Europa que pretendem voltar aos gramados.

A Bundesliga, primeira grande competição europeia a ser retomada, teve oito jogadores machucados nos seis jogos de sua reestreia, em 16 de maio, número significativamente maior que o normal, segundo a BBC.

Em complemento, a Zone7 afirma ter examinado dados de 11 times de primeira divisão nas últimas duas temporadas, chegando à observação de que 75% das equipes com tempo reduzido de preparação para as partidas tinham maior incidência de contusões em comparação com aquelas com maior tempo de preparo.

Neste cenário, é bem possível que vejamos a Premier League seguindo o exemplo da Bundesliga e adotando as cinco substituições propostas pela Fifa e aprovadas pela IFAB para preservar a condição física de seus jogadores. Além da potencial perda técnica em uma disputa por vagas europeias e permanência na primeira divisão, ter jogadores lesionados é preocupante também do ponto de vista econômico, visto que o valor de mercado dos atletas já deverá sofrer importante queda devido à crise financeira causada pela pandemia do novo Coronavírus.

Segundo a Sky Sports, reuniões ainda nesta semana poderão definir a data definitiva de retorno do Campeonato Inglês. O final de semana de 19 de junho é uma possibilidade, mas clubes estariam pressionando por mais uma semana de preparação, retomando a competição em 26 de junho.