A Fifa anunciou nesta sexta-feira, 22, que os três finalistas para o prêmio “The Best” são Cristiano Ronaldo, Lionel Messi e Neymar. Sim, o brasileiro está entre os finalistas. É, de certa forma, uma surpresa, ainda que o brasileiro tenha vivido bons momentos ao longo da temporada. Uma das dificuldades parece ser definir quem seria o terceiro na disputa e alguns imaginavam que poderia ser alguém da Juventus, como Gianluigi Buffon ou mesmo Paulo Dybala. E a discussão é válida. Embora passe longe de uma unanimidade, há outros jogadores que poderiam, sim, estar entre os finalistas.

LEIA TAMBÉM: Quanto mais rápido Neymar perceber que futebol é jogo de equipe, melhor para ele

Neymar tem a seu favor dois grandes fatores. O primeiro deles: a seleção brasileira. Sim, a recuperação do Brasil ajudou. A atuação contra o Paraguai, em março deste ano, ganhou muito destaque. De fato, Neymar jogou muita bola, como foi uma constante em boa parte deste primeiro ano de Tite no comando da Seleção. Com um time mais bem armado, Neymar pôde brilhar mais. Já era o grande protagonista, mas se tornou efetivo, porque não precisa mais carregar o time sozinho (embora, algumas vezes, tenha parecido achar que ainda precisava fazer issonos últimos jogos).

No Barcelona, Neymar teve alguns bons momentos, especialmente a atuação contra o Paris Saint-Germain na Champions League. Naquele polêmico jogo que o árbitro teve várias decisões equivocadas, foi Neymar quem tomou a frente para ser o artífice de uma virada espetacular. Foi o seu grande momento no time, que teve também a conquista da Copa do Rei.

Também é impossível dissociar a ida de Neymar ao PSG como um dos motivos dele estar entre os finalistas. Ser o jogador que custou mais caro na história do futebol tem um peso e a sua saga de transferência foi certamente a maior da última janela. O seu bom início no PSG acaba, de certa forma, validando isso – muito embora, é bom lembrar, o prêmio oficialmente trate sobre a última temporada, que acabou em junho, não a atual, que iniciou em agosto.

Outros nomes

Entre os cotados para estar na finalíssima estava Gianluigi Buffon. O goleiro fez uma grande temporada pela Juventus, ainda que a final da Champions League tenha sido uma grande decepção. O goleiro, aos 39 anos, vive um grande momento. Pode ser a última vez que tivesse a chance de uma disputa de prêmio desse tipo.

Dybala foi outro a ter uma boa temporada, mas que acaba também de forma decepcionante com uma atuação abaixo da crítica na final da Champions League contra o Real Madrid. Há relatos, inclusive, de uma cobrança forte do zagueiro Leonardo Bonucci, que deixaria o clube depois, pela atuação apagada do argentino. A boa temporada não será apagada, mas, de fato, acabou em baixa.

No mais, Antoine Griezmann seguiu atuando em um ótimo nível, com bons jogos e bons momentos, mas também sem um pico tão alto quanto alguns dos outros concorrentes. Muitos outros nomes poderiam ser citados por aqui, mas é difícil encontrar quem esteja no nível de Messi e especialmente Cristiano Ronaldo, tão decisivo.

De qualquer forma, deixamos aqui aberto: quem poderia estar na lista? Coloque nos comentários.

Demais premiações

A Fifa também divulgou os finalistas de todos os demais prêmios. Veja quem são:

Melhor jogadora:

Carli Lloyd (Estados Unidos/Manchester City-ING/Houston Dash)
Deyna Castellanos (Venezuela/Santa Clarita Blue Heat-EUA)
Lieke Martens (Holanda/Rosengard-SUE/Barcelona-ESP)

Melhor técnico (futebol masculino):

Zinedine Zidane (Real Madrid)
Massimiliano Allegri (Juventus)
Antonio Conte (Chelsea)

Melhor técnico (a) (futebol feminino):

Nils Nielsen (Dinamarca)
Gerard Precheur (Lyon)
Sarina Wiegman (Holanda)

Melhor goleiro:

Gianluigi Buffon (Juventus)
Manuel Neuer (Bayern de Munique)
Keylor Navas (Real Madrid)

Prêmio Puskas (Veja os gols):
Kevin-Prince Boateng (Las Palmas)
Alejandro Camargo (Universidad de Concepcion)
Deyna Castellanos (Venezuela U-17)
Moussa Dembele (Celtic)
Olivier Giroud (Arsenal)
Aviles Hurtado (Tijuana Xolos)
Mario Mandzukic (Juventus)
Oscarine Masuluke (Baroka FC)
Nemanja Matic (Chelsea)
Jordi Mboula (Barcelona U-19)

Prêmio do torcedor (veja mais aqui):
Torcedores do Borussia Dortmund
Torcedores do Celtic
Torcedores do Copenhague