Jürgen Klopp não quis saber. Enviou o seu time sub-23 para enfrentar o Shrewsbury Town, da terceira divisão, pela quarta rodada da Copa da Inglaterra. Os motivos foram manter a promessa de folga aos jogadores da equipe principal e, ao mesmo tempo, marcar posição na sua luta contra o calendário do futebol inglês, mas o efeito prático era que não lhe importava muito ficar ou continuar na FA Cup. A garotada, porém, fez muita questão de continuar. Fez uma grande partida em um Anfield lotado nesta terça-feira e, com uma dose de sorte, venceu por 1 a 0, mantendo o Liverpool vivo em três competições nesta temporada.

A polêmica foi grande em torno da decisão de Klopp, com acusações de que estava desrespeitando a competição e o próprio Shrewsbury Town, cujo treinador Sam Ricketts avaliou em £ 500 mil o prejuízo do clube porque a ausência das estrelas do líder da Premier League fez com que a partida não fosse televisionada para o Reino Unido – nem para o resto do mundo – e gerou uma bilheteria menor. Embora todos os ingressos tenham sido vendidos, o preço foi reduzido a £ 15 para os adultos e £ 1 para crianças.

A derrota impede que o Shrewsbury Town compensasse a decepção financeira com uma viagem a Stamford Bridge, na próxima rodada, para enfrentar o Chelsea, agora uma missão que cabe ao Liverpool, ainda vivo na Copa da Inglaterra na temporada em que provavelmente será campeão inglês pela primeira vez desde 1990. Em toda a história, os Reds conseguiram apenas uma Dobradinha, em 1985/86, sob o comando de Kenny Dalglish, e nunca completaram a Tríplice Coroa, ainda uma possibilidade.

A estrutura levada a Anfield, liderada pelo treinador Neil Critchley, foi do time sub-23, mas, na prática, a escalação era mais próxima ao sub-19. Apenas o goleiro Kelleher, o lateral esquerdo Adam Lewis, o meia Pedro Chirivella e o atacante Liam Millar tinham pelo menos 20 anos entre os titulares. Chirivella, com 22, era o mais velho.

A diferença física para um time de adultos ainda foi uma questão, mas o desafio era significativamente mais tranquilo contra um representante da terceira divisão do que enfrentar uma equipe da Premier League, como foi o caso das quartas de final da Copa da Liga Inglesa, contra o Aston Villa, que fez 1 a 0 aos 14 minutos do primeiro tempo e terminou o primeiro tempo vencendo por 4 a 0.

O resultado foi uma primeira meia hora de jogo em que nada aconteceu, com exceção de uma cobrança de falta de Curtis Jones direto às mãos do goleiro Max O’Leary. Pouco depois, ele sofreu outra falta, um braço no rosto, e precisou sair de campo para tratamento, no momento em que as chegadas dos adultos do Shrewsbury Town começavam a ficar mais fortes.

Aos 34 minutos, Neco Williams tabelou com Harvey Elliott pela direita, invadiu a área e chutou rasteiro, levando perigo real à meta do Shrewsbury pela primeira vez. A garota do Liverpool seguiu dominando a posse de bola e buscando um espaço que apareceu em um passe por elevação para Leighton Clarkson. De primeira, ele encontrou Neco Williams no outro lado da área. O chute foi bloqueado e, na sequência, o lateral direito cometeu falta em Aaron Pierre.

Neco Williams não conseguia parar de chutar, embora também não conseguisse fazê-lo com muita precisão, e teve mais duas chances nos primeiros 15 minutos, uma defendida pelo goleiro O’Leary e outra para fora, mas o ímpeto dos garotos do Liverpool foi interrompido pelo gol do Shrewsbury Town.

O tento, porém, foi anulado. Daniel Udoh cruzou da esquerda, David Edwards chutou em cima de Kelleher, e Shaun Whalley completou de cabeça. Após checagem do assistente de vídeo, o árbitro assinalou impedimento na jogada. Udoh, porém, colocou fogo no jogo ao entrar no lugar do centroavante Callum Lang e teve uma boa chance mandada para fora, no momento em que o Shrewsbury tentava se impor na partida.

 

O Liverpool quase marcou com Curtis Jones, que recebeu o lançamento quase na marca do pênalti, mas furou a tentativa de bater de primeira. Na sequência, dominou e bateu bloqueado, conseguindo pelo menos um escanteio. Deu início a uma sequência de cantos dos donos da casa que responderam à melhora do visitante aumentando a pressão.

Aos 30 minutos, o gol saiu. Neco Williams, que vinha sendo a principal arma ofensiva do Liverpool, lançou do meio-campo em busca de Havery Elliot. Ro-Shaun Williams não soube lidar direito com a situação e cabeceou contra a própria meta, talvez tentando recuar para O’Leary. O goleiro do Shrewsbury, porém, havia saído do gol para interceptar o passe e acabou encoberto pelo seu próprio zagueiro.

 

Faltavam 15 minutos para o fim da partida, e o Shrewsbury Town até tentou exercer alguma pressão em busca do empate, mas a garotada de vermelho soube se segurar e não arrefeceu, embora fosse clara a discrepância física. Ao apito final, os jovens comemoraram efusivamente, sob os olhos de James Milner, presente nas arquibancadas, e de Jürgen Klopp, que, onde quer que esteja curtindo a folga, assistiu à partida em seu laptop.

E foram festejados, merecidamente, pela Kop, principal arquibancada de Anfield.

.