Depois de dois placares por 1 a 0 e dois por 2 a 1, a Alemanha encarou a Ucrânia pelo segundo jogo do grupo C e mudou o retrospecto de partidas com um único gol de diferença na Euro deste ano. Ou melhor, Schweinsteiger o fez. Nos últimos suspiros antes do apito final, mas fez. E, em incríveis três minutos em campo, colocou os alemães na frente da Polônia, Irlanda do Norte e da própria Ucrânia na disputa pela classificação para a próxima fase do torneio.

VEJA TAMBÉM: Irlanda do Norte segurou o quanto conseguiu, mas Polônia estreia com vitória

Apesar de ter sido o placar mais folgado até o momento, a atual campeã do mundo enfrentou uma adversária um tanto quanto perseverante. Se não fosse pelas grandes defesas de Neuer, a Ucrânia poderia, tranquilamente, ter terminado o jogo com dois gols em sua conta ou até mais. Logo aos quatro minutos de bola rolando, Fedestkiy, pela direita, deu um passe para Konoplyanka, que, de primeira, mandou uma bomba para o gol alemão. E essa foi só a primeira das várias vezes, durante os 90 minutos, mas, principalmente, no segundo tempo, que Neuer se cresceu e salvou a Alemanha.

A partida saiu do 0 a 0 quando o relógio marcava 19 minutos e Kroos foi cobrar uma falta sofrida por Muller. O meia mandou a bola na área e Mustafi subiu para cabecear. 1 a 0 para a Alemanha. Aliás, que partidaça fizeram esses dois. Foram consistentes tanto ofensiva, quanto defensivamente. Depois de ver sua rede balançar, a Ucrânia ainda criou boas chances de gol, mas ou falhou na finalização, ou foi barrada por um Neuer, como na maioria das vezes, bastante inspirado. Destaque para Yarmolenko, que aproveitava os espaços e não dava sossego à seleção alemã.

 

Precisou chegar aos 44 minutos da segunda etapa para Low perceber que Gotze não estava rendendo. Foi quando ele colocou Schweinsteiger no lugar do jogador do Bayern e, três minutos depois, foi surpreendido. No último lance de jogo, Ozil, que até então estava meio apagado, disparou em um contra-ataque e, em um passe perfeito, entregou ao Schweinsteiger a chance de matar o jogo. De primeira e com muita categoria, o camisa 7 fez 2 a 0 e mostrou que o banco não é para ele, além de ter contribuído para a tradição alemã de nunca ter perdido em estreias na Eurocopa ter sido mantida.

 

Escalações

Alemanha: Neuer; Howedes, Boateng, Mustafi e Hector; Kroos, Khedira, Draxler (Schurrle), Gotze (Schweinsteiger) e Ozil; Muller. Técnico: Joachim Low

Ucrânia: Pyatov; Fedetskiy, Khacheridi, Rakitskiy e Shevchuk; Stepanenko, Sydorchuk e Kovalenko (Zinchenko); Konoplyanka, Yarmolenko e Zozulya (Seleznyov). Técnico: Mykhailo Fomenko