Saudades do mata-mata? Separamos os confrontos mais marcantes do Brasileirão

Esta semana vamos relembrar os duelos mais marcantes dos 31 anos de mata-mata no Campeonato Brasileiro

Independente da sua fórmula de disputa preferida, é inegável que todo apaixonado por futebol que se preze tem na memória uma eliminatória eletrizante que terminou com a vitória do seu time. Ou com aquela derrota que dá orgulho, cuja luta exigiu até a última gota de suor e os jogadores caíram de cabeça erguida. Os torneios de mata-mata têm a emoção como principal ingrediente, e entre 1971, quando o Campeonato Brasileiro começou, até 2002, última edição desse formato, muitos duelos tiraram o fôlego dos torcedores.

LEIA MAIS: Em time de Robinho e Gabriel, quem brilhou no clássico foi Lucas Lima

Ao longo da semana, vamos relembrar os confrontos mais marcantes, desde uma virada espetacular que parecia improvável a um clássico que ganhou ainda mais importância por valer vaga na final ou mesmo o próprio título. Não vamos falar quais foram os jogos escolhidos, porque a surpresa faz parte da brincadeira, mas separamos em cinco temas esses 31 anos de decepções e vitórias, vilões e heróis, gols e tropeços. Pelo menos, você vai saber o que esperar.

Segunda-feira: as grandes viradas

O segundo jogo mal começou e seu time, que já estava perdendo, tem uma missão ainda mais complicada pela frente. Mas sem saber que era impossível, os jogadores foram lá e conseguiram a virada (de preferência com um gol no último segundo). O roteiro é familiar?

Terça-feira: as surpresas

Não tem nenhum animal que goste mais de torneios de mata-mata do que as zebras. Aquele time que ninguém espera de repente derruba um dos grandes e vai até as fases mais agudas da competição. E eventualmente até levanta o troféu.

Quarta-feira: os clássicos

Tem como transformar um Internacional x Grêmio, um Atlético x Cruzeiro ou um Palmeiras x Corinthians em um jogo ainda mais especial? Claro que sim: basta ele acontecer nas fases finais do Campeonato Brasileiro.

Quinta-feira: as goleadas

Os times costumam entrar mais fechados em jogos de mata-mata porque sabem que qualquer gol que sofrerem pode ser letal, e o tempo de recuperação é muito curto, mas há vários casos de placares elásticos e históricos. Às vezes nas duas partidas, um para cada lado.

Sexta-feira: os melhores jogos (que não aconteceram)

Definidas as semifinais da Copa do Brasil, os mineiros (e os apaixonados por futebol) estão pensando em apenas uma coisa: no possível Cruzeiro e Atlético-MG na decisão. Quando saíram as chaves de mata-mata do Brasileirão, muitos sofreram por antecipação com os confrontos que poderiam acontecer. Infelizmente, porém, nem sempre a expectativa vira realidade.

Você também pode se interessar por:

>>>> Na cidade com mais ciclovias da América Latina, é melhor não ir de bicicleta ao futebol

>>>> As eliminações não diminuem o orgulho potiguar pelos feitos na Copa do Brasil

>>>> O Galo outra vez desafiou o impossível e provou que estava certo