A crise que vinha sendo gestada pelo Chelsea alcançou novas proporções na derrota por 2 a 0 para o Manchester United, em Old Trafford, na última segunda-feira, pelas oitavas de final da Copa da Inglaterra. Torcedores foram embora antes do apito final e atacaram especificamente o estilo de jogo do treinador Maurizio Sarri, cantando “fuck Sarri-ball”.

LEIA MAIS: Pogba decidiu de novo, e o United passou pelo Chelsea rumo às quartas da FA Cup

 

Os insatisfeitos criticam a previsibilidade do Chelsea, sempre com o mesmo esquema 4-3-3, as mesmas jogadas e as mesmas substituições. Depois de um ótimo começo de temporada, os Blues caíram de rendimento e perderam três das últimas cinco partidas, incluindo goleadas contra o Bournemouth, por 4 a 0, e Manchester City, por 6 a 0.

Para Sarri, porém, o seu sistema tático não tem culpa. “É um falso problema. Eu sei disso muito bem, quando estamos perdendo, eu tenho que colocar um atacante. Quando estamos ganhando, tenho que colocar um defensor. Mas eu quero ver futebol de outra maneira”, afirmou, antes do jogo de volta contra o Malmö, nesta quinta-feira, quando o Chelsea reencontrará seus torcedores em Stamford Bridge.

Então, qual é o problema? “Eu tenho que pensar que podemos melhorar e melhorar imediatamente. O resultado não é tudo em uma partida. No último jogo (contra o United), nós jogamos melhor, melhor e melhor, especialmente no primeiro tempo. Temos que solucionar um grande problema porque ficamos no campo adversário por 75 minutos de 90 e não conseguimos marcar. Eles jogaram apenas 15 ou 16 bolas na nossa área e fizeram dois gols. Então temos que resolver este problema: um problema de agressividade e determinação nas duas áreas”, explicou.

Sarri afirmou que não conversou com o dono do Chelsea, Roman Abramovich, sempre muito propenso a demitir treinadores, nem com a diretora Marina Granovskaia, que, na ausência do russo, que ainda não compareceu a uma partida da temporada, cuida dos assuntos do dia a dia em Stamford Bridge. “Eu tenho que pensar que serei o técnico do Chelsea por um longo tempo. Do contrário, não consigo trabalhar. Tenho certeza (que vai dar tudo certo), mas tenho que pensar nisso. Eu tenho que trabalhar e quero trabalhar com um objetivo de longo prazo”, disse.

Mas, antes, precisa reconstruir a relação com a torcida. O lado bom é que Sarri tem uma fórmula muito simples para isso: “Muito fácil: precisamos ganhar três ou quatro partidas seguidas. É a única solução. Eu consigo entender muito bem a frustração dos nossos torcedores porque eles estão acostumados a vencer e agora estamos com problemas. Mas não há outra maneira. Precisamos apenas ter bom rendimento e bons resultados. E, neste momento, é difícil pensar que vamos conseguir ganhar três ou quatro partidas na sequência”.

“Mas, no futebol, tudo muda em um dia. Eu acho que precisamos, em primeiro lugar, de um bom rendimento. Um bom resultado. Então, com mais confiança, poderemos fazer qualquer coisa”, encerrou.


Os comentários estão desativados.