O técnico Maurizio Sarri fez críticas ao VAR nesta sexta-feira, em coletiva de imprensa antes do jogo do seu time, a Juventus, contra o Torino, em um dérbi da cidade de Turim. O treinador, de 60 anos, reclamou que ainda não entendeu as orientações para mão na bola e que há um excesso de uso do recurso nos jogos.

“Eu prefiro quando os árbitros controlam o jogo do campo”, afirmou o treinador da Juventus em entrevista coletiva nesta sexta-feira. “Nem todas as situações precisam ser comunicadas. Quando há uma mão na bola, eu ainda não fui capaz de entender as regras”, continuou.

“Além disso, na vida cotidiana há regras absurdas e nós precisamos nos adaptar a elas. Eu digo que eu não gosto, nasceu para identificar erros grandes, agora é usado três ou quatro vezes no jogo. Há um uso mais limitado no exterior”.

O treinador falou sobre o duelo com o Torino, seu primeiro dérbi pela Juventus. “É uma partida história por si, não importa em qual estádio nós estamos na temporada. Eu acho que nós estaremos encarando um Torino muito empolgado, porque é um dérbi muito importante para eles”.

“É muito importante manter a partida no trilho, às vezes é possível, às vezes não. Eu digo que será importante nós controlarmos a partida amanhã e mantermos nos nossos termos”, afirmou Sarri. “Um dérbi nunca é uma partida normal. Neste momento, toda partida é importante. Eu espero que isso ajuda a nos prevenir de ficar mentalmente cansados. Em Londres o dérbi é sentido de uma maneira diferente, eu tentarei viver este da melhor maneira possível”.

Sarri falou sobre a possibilidade de ter de volta Miralem Pjanic no time. “Eu não sei [se ele estará disponível], ontem ele estava treinando sozinho. Ele estava em uma reunião com o departamento médico, eu não sei se ele pode jogar amanhã”, explicou.

“[Aaron] Ramsey parece bem, ao menos no treinamento. Gonzalo [Higuaín] é um grande jogador. No último verão eu o vi muito motivado, mas em Londres eu estava menos satisfeito. Quando ele está motivado, ele é um jogador muito importante”.

A possível volta de Higuaín traz outra questão: é possível jogarem Cristiano Ronaldo, Paulo Dybala e Gonzalo Higuaín? “Ronaldo prefere operar no centro-esquerda, Dybala na centro-direita, mas nenhum deles é um atacante de lado, então uma linha de frente com os três não é adequada”, explicou ainda o treinador.

O treinador ainda comentou sobre o desastre de Superga e como ele sente que é necessário fazer homenagens. “Eu vim com o Napoli e o Empoli no mês de maio, eu senti que era a minha obrigação ir e prestar meus respeitos a lendas do esporte [o time do Grande Torino, que morreu no acidente]”.

Assista à Serie A pelo DAZN! Ao assinar, você ganha 30 dias grátis e a Trivela é recompensada.