O técnico do Chelsea, Maurizio Sarri, fez elogios a Álvaro Morata e disse que o pedido do espanhol para sair do clube foi o que fez o clube ter que se movimentar no mercado, o que acabou na contratação de Gonzalo Higuaín. O argentino foi anunciado nesta quarta em Londres, enquanto o espanhol deve ser emprestado ao Atlético de Madrid até o final da temporada, com opção de compra para o time de Diego Simeone.

LEIA TAMBÉM: Higuaín chega para tentar resolver problema da camisa 9 no Chelsea e recuperar seu futebol

Morata chegou cercado de expectativas em Londres, vindo do Real Madrid por € 66 milhões em 2017, mas não conseguir estar à altura. Começou vestindo a camisa 9, mas pediu para trocar para a camisa 29 nesta temporada, por superstição. Começou a temporada como titular, mas perdeu espaço e na fila para jogar estava atrás de Eden Hazard, improvisado como centroavante, e Olivier Giroud. Sarri sempre falou de forma elogiosa do atacante, mas o pedido para sair foi o fim da confiança do técnico.

“Eu acho que Morata é um jogador muito bom”, afirmou Sarri em entrevista coletiva. “Eu acho que Morata tem as características para jogar no meu time. Mas Morata, há um mês, disse que queria jogar em outro time, então foi muito difícil para ele nos dar 100% por sua situação mental, eu penso”, continuou o italiano. “Eu acho que Morata é potencialmente um jogador muito importante. Do ponto de vista técnico e físico, ele é um jogador muito bom e adequado para o meu futebol. Mas a situação mudou no último mês, então precisávamos mudar”, analisou o treinador do Chelsea.

A contratação de Higuaín gerava uma certa desconfiança no Chelsea. O clube tem uma política de não contratar jogadores acima dos 30 anos, assim como não oferecer contratos longos para jogadores acima dos 30 anos. Por isso, para levar Gonzalo Higuaín, 31 anos, para Stamford Bridge, foi preciso convencer a diretoria do clube de Londres, o que passou por uma forte recomendação do treinador italiano. Foi a escolha pessoal de Sarri, que também tem considerações diferentes do clube em relação à idade dos jogadores.

“Eu acho que jogadores de 31, 32 anos não é muito velho”, disse o treinador. “Eu acho que, para um centroavante, é muito difícil marcar gols continuamente quando tem 22, 23 anos. Então o melhor é dos 27 aos 32, 33. Por isso, eu acho que Higuaín está na idade certa”, ponderou Sarri.

Higuaín chega por empréstimo de seis meses, com opção de compra ao final do vínculo. Só que Sarri sabe que para que isso aconteça, o argentino precisará mostrar em campo que pode, de fato, ser muito útil. “Eu não sei exatamente os detalhes do contrato, então é muito difícil para mim responder”, disse Sarri. “Cabe a ele, eu acho. Ele tem que marcar gols, primeiro de tudo. Eu acho que, para um contrato de longo prazo, ele tem que ir muito bem. Ele tem que jogar. Ele tem que marcar gols. Ele tem que ser útil para o time”.

A temperatura está aumentando no Chelsea, especialmente depois da derrota para o Arsenal, no fim de semana, por 2 a 0. Sarri disse depois do jogo que o grupo de jogadores do clube era “muito difícil de motivar”. Muitos consideram que os jogadores podem reagir mal a uma cobrança como essa, feita em público. “Eu não ataquei meus jogadores. Eu disse a minha opinião sobre os nossos problemas. Mas eu queria que eles entendessem qual é o problema. Eu acho que esse é o meu trabalho”, afirmou o treinador.

“É claro, eu tenho a responsabilidade também do ponto de vista mental, então o desempenho foi erro meu, é claro. Eu disse que estou com problemas porque é muito difícil motivá-los, mas eu não queria ataca-los”, continuou Sarri. “Eu não sei por que [que é difícil motivar os jogadores], se não seria fácil para mim. Eu não sei exatamente a razão, ou talvez haja 100 razões. É difícil, mas nós temos que tentar melhorar nisso”.

“Nós estamos mudando no treinamento, algo antes da partida. Nós estamos tentando fazer o nosso melhor, é claro. Mas, para nós, é um problema – não sempre, mas mesmo em algumas partidas importantes. Então é realmente estranho”, tentou explicar o treinador do Chelsea. “Quando você joga com o Arsenal com o Tottenham, você normalmente chega à partida com um nível muito alto de motivação e determinação, mas nós cometemos erros também nesse tipo de partida. Então é muito estranho e nós precisamos melhorar”.

Apesar das declarações duras, o técnico disse que os jogadores concordaram com ele. “Mas eles concordam comigo. Eu discuti com os jogadores depois do jogo e eu disse a eles as mesmas coisas que falei nas coletivas de imprensa. Não é um grande problema. Eu quero ser direto com eles em privado e em público”, disse Sarri.

Nesta quinta-feira o Chelsea enfrenta o Tottenham pelo jogo de volta da semifinal da Copa da Liga, em Stamford Bridge. Os Spurs venceram por 1 a 0, por isso o time de Sarri precisa vencer o jogo de volta para ter chance de avançar para a decisão, contra o Manchester City.