Fernando Diniz tirou alguns minutos das entrevistas coletivas após as últimas duas partidas do São Paulo para defender Gabriel Sara. O garoto de 21 anos ganhou uma sequência maior após a lesão de Daniel Alves e vinha sendo criticado pela torcida. O próprio Diniz, nessas declarações, admitiu que tecnicamente o meia-atacante não estava bem, por mais que tivesse importância tática. “Também acho que é uma questão de tempo para aparecer a parte técnica”, disse, após a vitória por 3 a 1 sobre o Fluminense. Foi questão de uma semana.

Neste sábado, Sara anotou os dois gols do São Paulo no clássico contra o Santos, seus primeiros no profissional, em um jogo bem interessante, movimentado e cheio de oportunidades, que não valeram a vitória apenas porque mais uma vez brilhou a estrela de Marinho – e Tiago Volpi cometeu duas falhas injustificáveis no gol do atacante que selou o empate por 2 a 2.

Sara estreou no São Paulo em 2017, mas voltou para as categorias de base. Pintava como um dos destaques da Copa São Paulo de Juniores do ano passado, mas, depois de fazer três gols na estreia, se machucou na segunda partida e perdeu o restante da competição. Ganhou chances no Campeonato Brasileiro, mas começou a jogar com mais regularidade nas últimas semanas. Contra o Santos, fez sua sétima partida consecutiva como titular.

O São Paulo começou com a maioria das chances. Vítor Bueno teve um chute cruzado perigoso, e Reinaldo saiu nas costas da defesa, após tiro de meta de Volpi, e bateu para a defesa de João Paulo. Aos 10 minutos, Sara uniu a parte tática com a técnica: bateu a carteira de Luan Peres na saída de bola do Santos, entrou na área e bateu de canhota na saída do goleiro.

Os visitantes quase ampliaram com um bonito passe para Tchê Tchê que Igor Vinícius pegou de primeira dentro da área, para fora, mas o Santos conseguiu o empate na bola parada. Madson desviou bem a cobrança de escanteio. Em um outro canto, Luciano cortou para trás e deu um susto danado em Tiago Volpi, que conseguiu evitar o gol contra.

Antes do intervalo, Gabriel Sara fez de tudo. Começou a jogada no meio-campo, abriu com Igor Vinícius na direita e entrou na área para finalizar e restaurar a vantagem do São Paulo.

A partida deu uma esfriada depois do intervalo, ainda mais após 17 minutos de paralisação por causa de uma queda de energia na Vila Belmiro. Quando a partida foi retomada, Marinho, que havia acabado de entrar na vaga de Carlos Sánchez, teve uma folga de longa distância. Volpi não armou bem a barreira. Na verdade, nem armou a barreira. Marinho soltou o pé em cima do goleiro do São Paulo, que deixou a bola passar ao seu lado.

Acabou custando o resultado ao São Paulo, em um clássico no qual foi melhor, no geral, embora o Santos também tenha tido suas oportunidades. Foi o segundo empate seguido do Tricolor, após quatro vitórias em cinco rodadas. O Santos está invicto há quatro rodadas, com duas vitórias.

.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

.

.