São Paulo joga melhor, mas falhas defensivas comprometem e Lanús é quem vence

Em um segundo tempo que foi superior ao adversário, sofreu três gols, com falhas individuais que comprometeram o time

A atuação do São Paulo na sua estreia na Sul-Americana manteve um aspecto comum nas últimas partidas: a irregularidade. Depois de um primeiro tempo fraco, o São Paulo saiu à frente no primeiro tempo. No segundo, melhorou na partida, mas tomou três gols em falhas defensivas, com uma atuação ruim dos seus defensores, e saiu derrotado pelo Lanús por 3 a 2 na Argentina, com direito a dois gols de José Sand, veterano de 40 anos do clube argentino.

LEIA MAIS:
Em dia de Vélez x Peñarol, vale relembrar o drama profundo da semifinal da Libertadores de 2011
Estes são os confrontos dos mata-matas da Sul-Americana 2020
A Copa Sul-Americana terá uma fase de grupos a partir de 2021 – e mais datas aos participantes brasileiros

O jogo começou complicado para o São Paulo. Com dificuldades de sair jogando, o time era sufocado na saída de bola pelo Lanús, o que levou a algumas perdas de posse. O Lanús também não conseguia fazer tanto assim com a bola, mas ameaçava em chutes de fora da área.

Aos 12 minutos, Tchê Tchê fez um belo passe em profundidade para Luciano aproveitar, em velocidade, a linha alta do Lanús. O camisa 11 avançou e tocou de pé esquerdo para o meio, onde Brenner chegou antes de Guillermo Burdisso para tocar para a rede: 1 a 0.

Embora em vantagem, o São Paulo fez muito pouco no primeiro tempo. O Lanús é que tentava mais, embora sem muita eficiência. O time brasileiro mostrava fragilidades defensivas que o Lanús tentava explorar.

Logo no começo da segunda etapa, o São Paulo veio bem: criou duas chances, com Igor Gomes, em uma finalização na entrada da área, e depois com Luciano, que chutou forte, cruzado, e a bola tocou na trave.

Apesar de estar melhor em campo, o São Paulo acabou sofrendo um gol. Leonel Di Plácido desceu pelo lado direito, com muita liberdade, e cruzou para a área. A bola tocou nas costas de Daniel Alves e sobrou para José Sand, aos 40 anos, marcar: 1 a 1. Um lance que o São Paulo defendeu mal e pagou caro por isso.

Pouco depois, Brenner sofreu falta nas imediações da área. Daniel Alves cobrou na barreira, mas no rebote, ele mesmo chutou e acertou o travessão. O time brasileiro passou a ter mais a bola, mas os dois times, quando atacavam, tinham dificuldades.

Com a bola pela esquerda, Reinaldo fez uma grande jogada: passou pela marcação e cruzou muito bem. Brenner completou para o gol de barriga, mas o assistente marcou impedimento. No replay, a impressão que dava era de posição legal. Como não há VAR, valeu a marcação de campo. Prejuízo grande para o São Paulo, com um gol que mudaria o andamento do jogo naquele momento.

Logo depois, em um lançamento longo para Nicolás Orsini, ele tocou de cabeça, ajeitando para José Sand. Quase na pequena área, o camisa 9 dominou, teve tempo e espaço para girar em cima de Diego Costa e marcar 2 a 1 para o time argentino, aos 39 minutos do segundo tempo. Mais uma falha defensiva, desta vez individual, que deixou novamente o São Paulo em desvantagem, mesmo que o adversário não fizesse uma grande partida.

Não demoraria para o São Paulo igualar o placar. Daniel Alves tocou para Vitor Bueno, que acionou Luciano. O atacante ajeitou de primeira, de costas, com um bonito passe. Brenner chutou de primeira, forte, e acertou no ângulo. Um golaço para empatar em 2 a 2, aos 42 minutos. Deixava novamente o jogo aberto.

O que poderia ser uma esperança para o time brasileiro tornou-se mais uma decepção. Em uma cobrança de falta, aos 46 minutos, Facundo Quignon ganhou do zagueiro Diego Costa, que foi mal no lance mais uma vez, e marcou 3 a 2 para o Lanús.

A derrota é um golpe duro pelo que o time fez no segundo tempo. A atuação foi melhor que no primeiro, o ataque conseguiu produzir, com bolas na trave e um belo gol, mas defensivamente o time erra demais. Falhando tão constantemente, todo jogo pode ser complicado.

O jogo de volta já será na próxima terça-feira, dia 3, no Morumbi. O São Paulo precisará vencer por dois gols de vantagem para se classificar, ou por um gol de vantagem, desde que tome só um gol (2 a 1, por exemplo), para avançar pelos gols marcados fora de casa.