São Paulo fez o que tinha que fazer e se despediu da Libertadores com goleada e duas pinturas

Dada a situação da tabela e a profunda diferença de qualidade entre os dois elencos, o São Paulo poderia ter tratado a sua última partida pela Libertadores este ano como um amistoso. Não o fez. Fernando Diniz escalou um time forte. O risco de perder e ficar fora da Copa Sul-Americana era mínimo, mas vai saber? E também havia a possibilidade de buscar alguma desforra depois de ser o único time que conseguiu perder para o Binacional – também sendo o único que precisou subir ao morro. Ela veio, com uma tranquila vitória por 5 a 1.

A facilidade que o São Paulo teria pela frente ficou clara logo no primeiro minuto, quando a defesa do Binacional quase marcou contra ao tentar afastar uma bola viva quase em cima da linha – acertou o próprio travessão. Zeta deu um susto, após Daniel Alves perder a posse no campo de defesa, ao bater de fora da área, com algum perigo a Tiago Volpi. Mas, aos seis minutos, Vitor Bueno soltou um chutaço no ângulo para abrir o placar.

E aí virou uma questão de quantos gols o São Paulo queria marcar no primeiro tempo. Aos 11, Tchê Tchê cruzou na boca do gol, aonde uns três jogadores brasileiros chegavam, e Brenner chegou a desviar a bola, quase embaixo da trave, mas mandou para fora. Depois, Tchê Tchê recolheu o cruzamento de Léo no bico direito da grande área. Bateu cruzado, com desvio para escanteio, mas ainda perto da trave.

O segundo gol saiu em um lance bem impressionante. Daniel Alves inverteu o jogo para Léo, que cruzou para dentro da área. Vitor Bueno pegou de frente, e Raúl Fernández defendeu. Igor Gomes pegou a sobra, e Raúl Fernández defendeu. Vitor Bueno tentou de novo, mas a defesa bloqueou. A bola, porém, sobrou para Brenner, sem goleiro e na pequena área: 2 a 0.

Era para ter sido uma etapa 100% tranquila, mas o Binacional conseguiu encontrar um gol nos minutos finais. Deza recebe um pouco à esquerda da entrada da área. Tchê Tchê marcou à distância, bem à distância, e assistiu ao chutaço que acertou o ângulo de Tiago Volpi.

O São Paulo não deu nem brecha para que um dos jogos mais fáceis de todos os tempos ficasse realmente complicado. Igor Gomes jogou a bola na área, Pablo dominou e girou emendando um voleio para marcar o terceiro com um golaço. Três minutos depois, Pablo cabeceou na trave uma cobrança de escanteio, e Arboleda ampliou um pouco mais a vantagem.

E aí o jogo efetivamente acabou. Pablo ainda marcou o quinto, nos minutos finais, com um belo movimento dentro da área antes de finalizar. O São Paulo pegou um time mais fraco e fez o que precisava fazer para ganhar bem. E ganhou bem. Despediu-se da Libertadores com uma goleada e agora pode focar suas atenções continentais na Copa Sul-Americana.

No outro jogo do grupo, o River Plate venceu por 2 a 0 e assegurou a passagem às oitavas de final em primeiro lugar, com 13 pontos. A LDU ficou com a segunda vaga, com 12, e o São Paulo aparece em terceiro, com sete. O Binacional tem apenas os três pontos que tirou do clube brasileiro na primeira rodada.

.