O jogo era do segundo colocado do Campeonato Brasileiro contra o lanterna. Jogar no Heriberto Hulse nunca é fácil, em nenhuma situação, mas quem assistiu ao jogo desavisado nos primeiros 15 minutos pode ter ficado confuso. A posição dos times na tabela não parece fazer diferença. O resultado final, porém, foi o São Paulo vice-líder vencendo o lanterna Criciúma, graças à sua eficiência no ataque e de alguma sorte. O time brincou com o perigo durante o jogo, viu o Criciúma ser melhor em alguns momentos, mas acabou arrancando a vitória no final.

VEJA TAMBÉM: Por esse lance de fair play, Marcelo Moreno é o craque da rodada do Brasileirão

No começo, o Criciúma tentou pressionar. Na primeira meia hora de jogo, o São Paulo quase não frequentou o campo de ataque. Quando tentou começar a chegar ao campo de ataque, conseguiu um gol em um escanteio que deu traquilidade. Michel Bastos cobrou o tiro de canto do lado direito na cabeça do zagueiro Edson Silva, que abriu o placar, aos 36 minutos.

O gol fez o São Paulo ficar tranquilo até demais com a vantagem. O time deu espaço para o Criciúma jogar e o time de Santa Catarina não se fez de rogado. Aproveitou e poderia ter empatado, mas perdeu oportunidades tanto no fim do primeiro tempo quanto no início do segundo, especialmente com Lucca, muito participativo no jogo. O São Paulo parecia confiante que manteria o resultado, mesmo o jogo dando indícios que o empate do Tigre parecia questão de tempo. E foi.

Em um lance rápido, a defesa do São Paulo fez linha de impedimento, Lucca recebeu sozinho, em posição legal, tocou para trás, Paulo Baier dividiu com Rogério Ceni e a bola sobrou para Souza finalizar para marcar o gol de empate, aos 25 minutos. Souza, no início do lance, estava impedido, mas foi Lucca quem recebeu o lançamento. Com o jogo empatado, o São Paulo teve que mudar de postura, mas o Criciúma também se empolgou e passou a acreditar na virada.

O São Paulo, que tinha poupado Kaká, que nem viajou a Santa Catarina, e deixou Souza no banco para preservá-lo, teve que fazer uma alteração quando Maicon sentiu uma torção no joelho. Souza foi a campo, mesmo no sacrifício. Com a chuiva forte em Criciúma e com o time paulista desgastado pelo jogo de quinta-feira contra o Emelec, restou fazer alterações no time. Saíram de campo Luís Fabiano, apagado, e Michel Bastos, que vinha bem, mas já começava a cansar, para a entrada de Ademilson e Osvaldo. Os paulistas cresceram no jogo com jogadores mais descansados e com característica de velocidade.

Ademilson foi quem mais participou do jogo quando entrou. Ele participou de três lances decisivos para o time. Primeiro, ele colocou Alan Kardec em boas condições com um cruzamento rasteiro, mas o companheiro desperdiçou com um chute fraco. Na seguinte, saiu o gol. Em uma jogada aos 37 minutos, Ademilson encontrou Alan Kardec na área. O centroavante cabeceou para o chão, sem chances de defesa. Era o gol da vitória.

A vitória poderia até ter sido maior. Em uma jogada bem trabalhada pelo meio, Ganso o deixou na cara do gol com uma cavadinha, mas o atacante finalizou mal, em cima do goleiro. No rebote, ele se posicionou para recebe novamente passe de Osvaldo, mas chutou para fora. O time teve mais uma chance um contra-ataque no final. Osvaldo foi lançado por Ganso, foi à linha de fundo e cruzou para trás, buscando Souza, livre do outro lado. A zaga cortou. O São Paulo, que em diversos momentos foi inferior ao Criciúma, saiu de campo com a vitória e manteve a distância de cinco pontos para o Cruzeiro, 59 pontos contra 64 do líder.

Na próxima rodada, o São Paulo vai a Salvador enfrentar o Vitória. Precisará vencer para continuar sonhando. O título ainda é possível, mas é muito improvável. Mesmo assim, ficar em segundo lugar é importante para o time, que tem um dos maiores gastos com folha salarial do Brasil. Antes do jogo do fim de semana, o São Paulo vai a Guaiaquil enfrentar o Emelec, no jogo de volta das quartas de final da Sul-Americana, torneio que o time tem a chance de ser campeão. No Brasileiro, o título é improvável, mas o São Paulo se firma como o único que ainda pode sonhar. A seis rodadas do final, parece um sonho bastante improvável.