O Santos foi mais eficiente em um primeiro tempo hiper-movimentado na Vila Belmiro, com grandes chances de gol para os dois lados, contou com ótimas defesas do goleiro João Paulo, com a expulsão de Rafael e venceu o Atlético Mineiro, por 3 a 1, ao fim de um dos duelos mais interessantes do Campeonato Brasileiro.

Especialmente pela etapa inicial, em que houve revezamento de ações ofensivas, três gols, boas jogadas e certo drama, melhor aproveitado pelo Santos que abriu 2 a 1 para vencer pela segunda vez seguida após três rodadas em branco. Marinho, de pênalti, fechou o placar nos minutos finais de um segundo tempo esticado por duas longas revisões do assistente de vídeo.

O Atlético Mineiro, depois de um início impecável, perdeu três das últimas cinco partidas pelo torneio nacional.

Os cinco primeiros minutos deram o tom do que viria pela frente. O Atlético Mineiro chegou três vezes com perigo. A primeira tentativa, com Guilherme Arana se projetando pela esquerda, foi travada por Madson. João Paulo esticou-se para defender a batida de Eduardo Saha, e Felipe Jonathan, o outro lateral, foi responsável por frustrar o chute de Savarino. Marrony ganhou da defesa e bateu duas vezes, ambas bloqueadas por Madson. O relógio ainda estava em cerca de cinco minutos.

O Santos respondeu com uma boa jogada de Soteldo, pela esquerda. Marinho completou o cruzamento rasteiro, mas apenas ganhou o escanteio, embora tenha passado perto da trave direita de Rafael. O goleiro do Galo se ausentaria da partida pouco depois, mas, antes, Savarino finalizou da pequena área, João Paulo se esforçou para espalmar e ainda conseguiu bloquear o rebote à queima-roupa de Sasha.

Aos 16 minutos, Mariano tentou recuar o jogo e lançou para o meio da intermediária. Marinho disparou para interceptar, conseguiu dar o primeiro toque na bola e foi derrubado por Rafael. O árbitro deu cartão vermelho direto ao goleiro. Sampaoli lançou Víctor, sacrificando Marrony, e o leandário goleiro atleticano não conseguiu defender a batida rasteira de Arthur Gomes, após invadir a grande área pela esquerda. A bola passou por baixo dele.

O Atlético Mineiro, porém, conseguiu o empate. Erro de Jobson na saída de bola. Sasha recuperou e abriu na direita. Franco chegou batendo e contou com um desvio em Alex para vencer João Paulo. Nem deu muito tempo para comemorar porque Sánchez descolou um lindo lançamento para achar Madson, na linha de fundo. O cruzamento rasteiro encontrou Marinho na pequena área: 2 a 1 para o Santos. Madson ainda teve um gol impedido antes do intervalo.

O ritmo diminuiu depois do intervalo, em parte porque quem tomou a iniciativa para atacar foi o Atlético Mineiro, com dificuldades pela inferioridade numérica. Não conseguiu exigir defesa de João Paulo e finalizou apenas duas vezes. O Santos não conseguiu aproveitar os contra-ataques, teve mais um gol anulado, marcado por Marinho, e apenas nos minutos finais ganhou a chance de matar a partida de vez.

Ganhou porque o pênalti de Alonso em Marinho, contestável, saiu de um passe perigoso de Víctor dentro da grande área. O atacante do Santos pressionou e sofreu a falta, segundo o árbitro Wagner Magalhães. Ele próprio cobrou e decretou a grande vitória do Santos sobre um dos candidatos ao título.

.