O Santos quase perdeu o título mundial de 1963 para o Milan. Havia sido derrotado no San Siro e estava atrás por 2 a 0 no intervalo da partida de volta no Maracanã. Pepe comandou a virada e, na partida desempate, Dalmo, de pênalti, garantiu que pelo segundo ano seguido o clube paulista fosse consagrado como o melhor do mundo. 

Essa história está completando 55 anos e é o motivo da homenagem que o Santos preparou na sua terceira camisa deste ano. Um pano dourado, com o preto e o branco nas mangas, e os dizeres “Bicampeonato Mundial” na parte interna da gola.

A camisa estreia neste sábado, contra o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro.