Fazer quatro gols em um clássico não é algo comum, nem corriqueiro e evidentemente não passa nem perto de ser fácil. Quando isso é feito aos 38 anos, é algo ainda maior. Roque Santa Cruz conseguiu o feito. Capitão do time, ele foi o grande nome da vitória do Olimpia sobre o rival, Cerro Porteño, no clássico paraguaio neste domingo.

Curiosamente, o Cerro Porteño esteve duas vezes à frente no placar, com gols de Alan Rodríguez, mas Roque Santa Cruz conseguiu fazer três gols em nove minutos, suficientes para transformar um clássico. E isso foi no segundo tempo.

Alan Rodríguez colocou o Cerro Poteño à frente com um golaço, aos 14 minutos. Roque Santa Cruz empatou, aos 23, com um passe de Erik López e um toque de categoria na frente do goleiro. No início do segundo tempo, aos sete minutos, Alan Rodríguez, com outro golaço, novamente colocou o Ciclón em vantagem, fora de casa. Foi aí que veio o show de Santa Cruz.

Aos 15 minutos, completou de cabeça cruzamento de William Mendieta e empatou. Aos 21, Santa Cruz, de novo, recebeu e marcou. E, aos 25 minutos, ele marcou mais um para determinar o resultado do jogo, em uma virada emocionante para seus torcedores presentes no estádio Manuel Ferreira. “A esta altura da minha carreira, são muitas horas para se recuperar. Há muito trabalho e muita gente que investe em mim para estar em boa forma”.

Santa Cruz deixou o Paraguai em 1999, quando se transferiu para o Bayern de Munique aos 18 anos. Em 2007, saiu da Alemanha para defender o Blackburn. Dois anos depois, foi para o Manchester City, em 2009. Voltou ao Blackburn, por empréstimo, em janeiro de 2011. Depois, foi para o Betis, ainda em 2011, depois foi para o Málaga e, em janeiro de 2015, foi para o Cruz Azul, do México. Ainda voltou ao Málaga em agosto de 2015 para, enfim, assinar com o Olimpia em julho de 2016. Está lá desde então.

O Olimpia lidera o Campeonato Paraguaio, com 44 pontos, quatro à frente do Libertad, segundo colocado. O Cerro Porteño é o terceiro e está muito atrás, com 31, depois de 18 rodadas.