O Bayern de Munique anunciou nesta sexta-feira (3) a contratação de Leroy Sané, que estava no Manchester City. O valor do negócio, segundo o jornal inglês Guardian, é de € 45 milhões que rapidamente devem subir para € 49 milhões por meio de objetivos facilmente alcançados. No total, a transferência pode ir até € 59 milhões, levando todos os bônus em consideração.

Devidamente apresentado, Leroy Sané assinou contrato de cinco anos e irá vestir na próxima temporada a camisa 10 do Bayern de Munique, atualmente utilizada por Philippe Coutinho, emprestado pelo Barcelona, um sinal forte de que o brasileiro realmente não deverá continuar no clube bávaro para além desta campanha.

Em Sané, o Bayern encontra uma excelente oportunidade de mercado. Mantém seu perfil de contratações por valores reduzidos ao mesmo tempo em que recruta um dos maiores talentos na faixa etária dos 24 anos. Em condições naturais, Sané poderia facilmente valer o dobro disso. As circunstâncias, no entanto, facilitaram a negociação: além da crise do Coronavírus ter derrubado o mercado, Sané tinha apenas mais um ano de contrato e sofreu com lesões de longa duração ao longo das últimas temporadas, este sendo o único asterisco em sua chegada.

Sané tem o perfil perfeito para o Bayern de Munique. Em primeiro lugar, alimenta a ambição do time de contar com os melhores jogadores alemães em seu plantel. Em 2016, a oportunidade de contratá-lo passou, e o jogador foi do Schalke 04 para o Manchester City. Agora, no entanto, consegue recrutá-lo ainda bastante jovem, tendo se estabelecido mais como atleta de topo e por um valor baixo.

Mais do que isso, Sané é das melhores peças que o Bayern poderia ter encontrado para o seu desejo de dar sequência a uma era marcada por dois craques em suas pontas, Robben e Ribéry. Gnabry e Coman já eram herdeiros que se mostraram dignos do posto, mas o francês segue muito suscetível a lesões. Com a chegada de Sané, a linha de sucessão ao trono do neerlandês e do francês que marcaram a última década parece definida.

Hasan Salihamidzic, ex-jogador do Bayern e hoje membro da diretoria bávara, foi o responsável por liderar a negociação por parte do clube e expressou sua alegria justamente neste sentido: “Com Serge Gnabry, Kingsley Coman e o Leroy, agora estamos ainda melhor equipados em um altíssimo nível nas posições de lado que são tão importantes para o nosso jogo”.

A transferência é também a melhor que Sané poderia ter achado para este ponto de sua carreira. As lesões impuseram uma pausa em seu desenvolvimento, mas ele poderá retomar o processo em uma das equipes hoje em melhor forma no futebol mundial, contando com uma base bastante jovem, capaz de estender por vários anos a dinastia estabelecida no futebol alemão.

Na temporada 2017/18, Sané foi eleito o melhor jogador jovem da Premier League em votação feita com seus colegas de campeonato, em um ano em que o alemão poderia facilmente ser apontado como um dos melhores atletas da liga independentemente de idade. Isso foi apenas dois anos atrás, e, à época, o jogador já dava sinais de que seu ápice ainda estava longe. Seu teto de potencial é dos mais altos para alguém de sua idade, e no Bayern ele terá toda a estrutura para buscar cumpri-lo.