O San Lorenzo nunca esteve tão próximo do título inédito da Libertadores. Em seus mais de 106 anos de história, a equipe nunca conseguiu a glória máxima sul-americana. Nada que tenha arrefecido a paixão de sua torcida em todo esse tempo, mas é inegável que, com a proximidade da conquista, seguida de um título no Campeonato Argentino, nunca foi tão bom fazer parte da massa cuerva. E foi dentro dessa euforia, desfrutando de uma noite de brilho do Ciclón, que Juan Carlos Bodo, sócio do time argentino, faleceu. Ele não poderá ver o possível título, mas deixou essa vida talvez da melhor maneira para um hincha do San Lorenzo: vendo o time golear, nas arquibancadas do Nuevo Gasómetro e com o sonho da taça mais vivo que nunca.

VEJA TAMBÉM: O San Lorenzo dos milagres guardou sua fúria para o momento decisivo

A equipe publicou em seu site oficial um e-mail enviado por Lucía Daniela Bodo, filha de Juan Carlos, que contou com emoção como tudo aconteceu, como foi ver pela última vez um jogo com seu pai no estádio do time do coração. Coração que não aguentou após o terceiro gol contra o Bolívar, marcado por Mercier. Apesar da perda, a torcedora quis apenas compartilhar a história de amor de seu pai pelo clube, que agora homenageará Juan Carlos Bodo com um minuto de silêncio na próxima partida que a equipe realizar (deveria ser neste domingo, contra o Olimpo, mas a morte de Julio Grondona nesta quarta adiou o início da competição).

Em um dos trechos da emocionante carta, Lucía conta que seu pai nunca chorava ou distribuía abraços por aí, mas que quando estava  no estádio torcendo pelo San Lorenzo tudo se invertia. Nenhuma lágrima era segurada por Juan Carlos, que “era quem queria ser ali, somente ali, na cadeira 20 da fileira 7, no setor preferencial da arquibancada Sul” do Gasómetro, como ela mesmo definiu. Vale a pena conferir a íntegra da mensagem.

“Gracias a San Lorenzo hemos compartido sentimientos y experiencias únicas. Mi papa no me solía abrazar seguido, sin embargo, bajo las luces del Nuevo Gasómetro en cada gol lo tenía rodeándome en sus brazos.”