É verdade que o Red Bull Salzburg não disputa uma das ligas europeias mais fortes, mas também é que a equipe austríaca chegou a março, na metade das oitavas de final da Liga Europa, com apenas uma derrota na bagagem. Isso porque, nesta quinta-feira, encarou o grande desafio de enfrentar o Borussia Dortmund no Signal Iduna Park. E foi além de não perder: voltou da Alemanha com a vitória por 2 a 1, depois de ter jogado melhor do que o terceiro colocado da Bundesliga.

LEIA MAIS: O Red Bull Salzburg repete seu maior sucesso na Europa, e justo quando “compete” com o Leipzig

O Red Bull Salzburg lidera o Campeonato Austríaco, em busca do quinto título seguido, com dez pontos de vantagem para o segundo colocado. Tem 17 vitórias, sete empates e uma derrota, a única da temporada em jogos oficiais (sem contar amistosos), para o Sturm Graz, em agosto. Está na semifinal da Copa da Áustria e avançou invicto na Liga Europa. Passou no grupo de Vitória de Guimarães, Konyaspor e Olympique Marseille e derrotou a Real Sociedad na primeira fase do mata-mata.

O Dortmund, por sua vez, faz uma temporada cheia de oscilações, em resultados e desempenhos. A derrota para o Salzburg foi o quarto jogo seguido sem vitória, após três empates por 1 a 1. E a equipe vinha de uma boa sequência, com apenas uma derrota (para o Bayern de Munique) e oito vitórias nos 12 jogos anteriores ao festival de igualdades. Pior do que tudo, tem se mostrado um time com pouca organização ofensiva e defensiva.

Foi assim contra o Salzburg. Um time dividido entre a defesa e o ataque, sem um meio-campo que costurasse os setores. Weigl e Dahoud foram os volantes, posicionados bem atrás, com Reus, Götze, Schürrle e Batshuayi à frente. A pressão alta dos austríacos prejudicava ainda mais a saída de bola alemã, que precisou fazer muita ligação direta. O apito final do primeiro tempo foi um alívio para os donos da casa, pressionados há uns bons dez minutos pelos visitantes.

O zagueiro Omer Toprak já havia esboçado entregar a paçoca quando fez um recuo perigoso para Bürki. Aos 4 minutos do segundo tempo, completou a missão com um pênalti em Hwang Hee-Chan. Valon Berisha cobrou e abriu o placar. O mesmo Berisha ampliou com um belo chute da entrada da área, completando de primeira o passe Stefan Lainer. Peter Stöger mexeu na equipe logo em seguida. Tirou Götze e Batshuayi, colocou Philipp e Pulisic. Deu certo. Imediatamente certo porque, um minuto depois, Pulisic deu o passe para Schürrle descontar.

O Dortmund não conseguiu chegar ao empate e agora tem em mãos a missão muito difícil de reverter essa desvantagem na Áustria, semana que vem.