O Liverpool iniciou neste sábado uma semana decisiva à sua temporada. A grande expectativa da torcida se concentra sobre o que acontecerá no desfecho da fase de grupos da Liga dos Campeões, aguardando a passagem aos mata-matas. Antes disso, entretanto, os Reds tinham um compromisso importante na Premier League. Encaravam o Bournemouth, um dos melhores times que não disputam o Top Four, no Estádio Vitality. O início da partida não foi tão promissor assim à equipe de Jürgen Klopp. No entanto, os visitantes trataram de ganhar confiança na segunda etapa, sobretudo por Mohamed Salah. Em uma de suas melhores atuações desde a lesão, o egípcio destroçou a defesa adversária. Comandou a goleada por 4 a 0, levando a bola para casa após seu hat-trick.

Klopp não tinha alguns titulares na visita ao Bournemouth e, embora dominasse a posse de bola, encontrou as suas dificuldades nas trincheiras do meio-campo. Ainda assim, o time saiu em vantagem, graças a um lance erroneamente validado pela arbitragem. Em boa trama, Roberto Firmino arriscou um chute venenoso de fora da área e Asmir Begovic não conseguiu agarrar a bola cheia de curva. Salah partiu em ligeiro impedimento e aproveitou o rebote do goleiro, dando certa segurança aos Reds a partir dos 25 minutos.

Já no segundo tempo, o Liverpool cresceu. Teve uma atuação mais firme e usufruiu da parceria entre seus atacantes. Aliás, logo aos três minutos, Firmino e Salah facilitaram as coisas. O brasileiro roubou a bola no meio-campo e passou ao egípcio, armando o contra-ataque. Imparável como em seus melhores momentos na temporada passada, o artilheiro sambou diante da marcação e definiu com maestria, mandando no cantinho de Begovic. Abriu o caminho à sua equipe, que não sofria mais tanta pressão e atuou com consistência, mesmo que o Bournemouth tenha passado a ficar mais com a bola.

A definição da goleada veio aos poucos. Aos 23, Steve Cook se enroscou com a bola e anotou um lindo gol contra, mandando de calcanhar às próprias redes. Por fim, a maior pintura nasceu dos pés de Salah, aos 32. O egípcio arrancou e destruiu a defesa rubro-negra. Deixou o primeiro marcador no chão e, com duas fintas secas, fez Begovic ficar perdido, antes de bater cheio de estilo à meta vazia. Foram três gols em quatro finalizações do craque, além de cinco dribles. Tarde de gala.

Enquanto o Bournemouth corre o risco de perder a sétima colocação, o Liverpool assume provisoriamente a liderança. Chega aos 42 pontos, um a mais que o Manchester City, aguardando a visita dos celestes a Stamford Bridge. Mais um motivo para confiar, em uma semana na qual o verbo “acreditar” será palavra de ordem no encontro com o Napoli em Anfield.