Mohamed Salah estava há oito partidas sem marcar, seis pela Premier League, na qual buscava o seu 50º gol com a camisa do Liverpool em menos de duas temporadas completas, o que é sem dúvida um grande feito. Mas, em meio a sua perseguição, o egípcio esqueceu que um dos conceitos básicos do jogo é passar a bola para o companheiro que estiver mais bem posicionado. Nesta sexta-feira, Salah foi novamente fominha. Mas, desta vez, deu certo, e ele marcou o importantíssimo segundo gol da vitória por 3 a 1 sobre o Southampton, que devolve os Reds à liderança.

O resultado final de jogada desculpa que Salah preferiu uma finalização muito difícil a soltar a bola a Roberto Firmino, que passava voando pela esquerda e teria melhores condições para fazer o gol. Como forçou chutes e jogadas individuais em outras partidas dessa sequência. Talvez ter alcançado a marca redonda de cinco dezenas o deixe mais calmo daqui para frente. De qualquer forma, o chute cruzado no canto de Angus Gunn quebrou o empate de uma partida muito complicada e que o Liverpool não podia deixar de vencer.

Na última quarta-feira, o Manchester City venceu o Cardiff e voltou à ponta da Premier League, com um ponto a mais e o mesmo número de jogos. Nesse constante revezamento no primeiro lugar, o Liverpool poderia se ver a quatro pontos de distância, quando a quantidade de partidas fosse mais uma vez igualada, caso fosse derrotado pelo Southampton, o que se tornou uma possibilidade real, aos nove minutos, assim que Shane Long completou o desvio de cabeça de Hojbjerg.

O Southampton tem sido um osso duro de roer desde a chegada do técnico Ralph Hasenhüttl, conhecido como o Klopp dos Alpes em alguns círculos, que transformou um time fadado ao rebaixamento. Nas últimas 16 rodadas, os Saints perderam apenas seis vezes, quatro contra adversários do top 6 (Manchester City, Arsenal, Manchester United e agora Liverpool), arrancou um empate com o Chelsea e derrotou os Gunners.

A qualidade dos donos da casa ficou visível em diversos momentos da partida, em que o Liverpool passou por sérios apuros, mesmo depois de conseguir o empate, com Naby Keita, em seu primeiro jogo como titular pela Premier League desde o começo de fevereiro, cabeceando na segunda trave, ainda no primeiro tempo, em mais uma assistência de Alexander-Arnold.

E foi justamente a partir de um momento em que o Southampton estava no ataque que saiu o gol da vitória do Liverpool, aos 35 minutos do segundo tempo. Salah recolheu, no grande círculo, e avançou. Quando alcançou a entrada da área, com dois marcadores à sua frente, arriscou o chute colocado de perna esquerda e acertou o pé da trave antes de comemorar o gol, com direito a tirar a camisa para afastar a zica.

 

Henderson fechou o placar de um jogo perigoso para o Liverpool. Jürgen Klopp elogiou a mentalidade do seu time, a maneira como se organizou e pressionou cada bola. O que precisa aparecer novamente nas últimas cinco partidas que o clube tem pela frente para quebrar o jejum de 29 anos sem título do Campeonato Inglês – isso se o City tropeçar pelo menos uma vez.