Estreias são sempre tensas e a Rússia vinha com um peso enorme. Sempre se espera que o país-sede consiga aproveitar o fator casa para impulsionar seu desempenho, mas o time russo vinha jogando um futebol sofrível antes da Copa. O adversário da estreia era bastante acessível, a Arábia Saudita, o pior colocado no ranking da Fifa entre os participantes do Mundial. E aproveitou muito bem as fragilidades do time do Oriente Médio. Marcou dois gols de cabeça, um outro golaço, e saiu de campo com um 5 a 0 que certamente empolgou até Vladimir Putin.

LEIA MAIS: Guia Trivela da Copa do Mundo de 2018: As 32 seleções

Os gols

Escanteio cobrado por Yuri Zhirkov cobrou escanteio, a bola foi tirada pela zaga, mas voltou a ele, que tocou para Golovin. O meia cruzou para a segunda trave e Gazinsky tocou bem de cabeça, sozinho, e marcou 1 a 0.

No final do primeiro tempo, aos 43 minutos, a Rússia arrancou com muita velocidade em uma ótima troca de passes. No contra-ataque, Smolov recebeu dentro da área, tocou para Zobnin, mais atrás, e ele rolou para a esquerda onde estava Cheryshev. O camisa 6 fez um lance lindo: deu uma cavadinha que tirou dois marcadores e encheu o pé: golaço e 2 a 0 para a Rússia.

No segundo tempo, os russos chegaram ao terceiro gol em mais um cruzamento. E, novamente, saindo dos pés do seu jogador que mais se destacou: Golovin. O camisa 17 cruzou para a área e o atacante Dzyuba, que tinha entrado um minuto antes, subiu livre de cabeça para marcar 3 a 0, aos 27 minutos.

No final do jogo, Cheryshev deu mais uma demonstração enorme de talento: meteu um chute de trivela, cruzado, e marcou um golaço para fechar o placar. Golaço por 4 a 0 e com Cherishev.

Quando as luzes estavam para apagar, Golovin, de falta, tratou de fazer mais um, de falta, e marcou mais um belo gol: 5 a 0.

Velocidade

A Rússia mostrou muita velocidade para contra-atacar. Com a posse de bola ficando a maior parte do tempo com a Arábia Saudita, especialmente depois do primeiro gol russo, a equipe da casa aproveitava os espaços para levar perigo. O time russo tem dificuldades em criar jogadas, mas com espaço para correr, o time pode levar perigo. Ainda mais

Super substituto

Aos 24 minutos, Alan Dzagoev sentiu uma lesão em um contra-ataque russo. Teve que ser substituído por Denis Cheryshev, do Villarreal. E a participação do substituto seria decisiva na partida, pelos golaços que marcou e pela atuação em bom nível. Atuando pela ponta esquerda, era sempre perigoso quando recebia a bola.

Posse de bola inútil

O time da Arábia Saudita que se classificou para a Copa, com Bert van Marwijk, era rápido e apostava em contra-ataques. Com Juan Antonio Pizzi, ex-Chile, o time tem muita posse de bola, mas é um time muito ineficiente no ataque – algo, aliás, que já acontecia com o seu Chile. O resultado foi que a Arábia Saudita mostrou neste primeiro jogo os defeitos dos times de Pizzi, mas sem as qualidades.

Pressão nos adversários

Com uma vitória tão significativa, a Rússia conseguiu colocar pressão nos demais. Agora, todo mundo terá que golear a Arábia Saudita e os russos conseguem sair em vantagem. Claro, os duelos diretos ainda serão cruciais contra Egito e Uruguai, mas é um excelente início para pensar em classificação.

Ficha técnica

Rússia 5×0 Arábia Saudita

Local: Estádio Luzhniki, em Moscou (RUS)
Árbitro: Nestor Pitana (ARG)
Gols: Gazinsky aos 12’/1T, Cheryshev aos 43’/1T, Dzyuba aos 26’/2T, Cheryshev aos 46’/2T, Golovin aos 49’/2T (Rússia)
Cartões amarelos: Golovin (Rússia), Al Jassim (Arábia Saudita)
Cartões vermelhos:
nenhum

Rússia

Igor Akinfeev; Mario Fernandes, Ilya Kutepov, Sergei Ignashevich e Yuri Zhirkov; Yury Gazinsky e Roman Zobnin; Aleksandr Samedov (Daler Kuzyaev aos 19’/2T), Alan Dzagoev (Denis Cheryshev aos 24’/1T) e Aleksandr Golovin; Fyodor Smolov (Artem Dzyuba aos 25’/2T). Técnico: Stanislav Cherchesov.

Arábia Saudita

AbdullahAl-Mayouf; Mohammed Al-Breik, Osama Hawsawi, Omar Hawsawi e Yasser Al-Shahrani; Salem Al-Dawsari, Abdullah Otayf (Fahad Al Muwallad aos 19’/2), Salman Al-Faraj, Taisir Al-Jassim e Yahia Al-Shehri (Hattan Bahebri aos 27’/2T); Abdulmalek Al-Sahlawi (Muhannad Assiri aos 39’/2T). Técnico: Juan Antonio Pizzi


Os comentários estão desativados.