Rússia 1×1 Coreia do Sul: Sobrou vontade, mas faltou técnica

Partida do Grupo H foi fraca e ainda contou com atuação medonha dos goleiros de ambas as equipes

A CRÔNICA

A partida que encerrou esta terça-feira de Copa do Mundo e a primeira rodada da fase de grupos da Copa foi um retrato do dia: fraca tecnicamente em comparação ao que havíamos visto até agora. Um frango clamoroso de Akinfeev e um bate-rebate na área coreana foram os definidores dos gols do empate por 1 a 1 entre Rússia e Coreia do Sul. Sinal de que a Bélgica tem uma grande oportunidade de consolidar o favoritismo e terminar no primeiro lugar do Grupo H. Russos e sul-coreanos precisarão resolver alguns problemas principalmente ofensivos para oferecerem maior concorrência que o que parece oferecerem agora. Sem falar que as conversas com seus goleiros deverão ser bastante sérias, depois das inúmeras falhas. Apesar da vontade das equipes, a falta de técnica se sobressaiu no empate.

O primeiro tempo entre Rússia e Coreia do Sul foi bastante sofrível. Ambos os times não tinham uma proposta ofensiva, e o resultado disso foi que as chances de gol começaram a acontecer apenas após os trinta minutos. Aos 33 minutos, Koo Ja-Cheol arriscou de longe e viu Ignashevic desviar a bola no meio do caminho para evitar o gol. Os chutes de longa distância eram o que ambas as equipes mais buscavam diante da falta de criatividade, e isso se provaria efetivo no segundo tempo.

Depois do baixo nível técnico e das poucas chances do primeiro tempo, a Rússia voltou com muito mais intensidade para o segundo tempo. Com apenas 30 segundos da etapa complementar, Fayzulin viu o goleiro coreano adiantado e tentou a sorte de longe, forçando-o a espalmar para escanteio. Na cobrança da bola parada de Kombarov, Berezustkiy quase abriu o placar de cabeça, na primeira trave.

A Coreia do Sul também chegou com perigo, aos cinco minutos, em chute de Koo Ja-Cheol, que parecia sentir de longe a insegurança e má partida de Akinfeev, que bateu roupa. O recurso seguiu sendo explorado pelos coreanos, até que, aos 23 minutos, Ja-Cheol enfim conseguiu o que imaginava: chute forte, de longe, e Akinfeev aceitou, indo com a mão fraca e vendo a bola passar quase direta por suas mãos. Primeiro grande frango desta Copa do Mundo.

O gol sul-coreano forçou a Rússia a ir ao ataque. Para isso, Capello, que alguns minutos antes havia colocado Dzagoev em campo, promoveu a entrada de Denisov e Kerzhakov, e foi do segundo que saiu o gol de empate. Após um bate-rebate na área, o experiente atacante do Zenit pegou a sobra, limpou a jogada e empatou para os russos. Entretanto, o único efeito das mudanças foi mesmo esse gol do oportunista Kerzhakov, pois a partida em si seguiu em um nível bastante baixo. Samedov ainda teve uma oportunidade de ouro no final da partida, mas a isolada que o jogador deu na bola freou qualquer esperança de virada da seleção russa. Foi o encerramento perfeito para ilustrar o que foi o jogo.

Se há uma conclusão a ser tirada da partida, é a de que a Bélgica, que mostrou problemas mais cedo contra a Argélia, terá pela frente adversários igualmente “encrencados”. Os belgas ao menos tiveram capacidade de se transformar no decorrer do jogo a fim de salvar o resultado. Sul-coreanos não demonstraram melhora conforme os minutos passavam, enquanto os russos só marcaram por causa de um abafa, em vez de como fruto de uma reviravolta. Não que a Bélgica terá vida fácil até o final da fase de grupos, mas Capello e Myung-Bo também têm muito o que acertar, Wilmots.

FICHA TÉCNICA

Rússia 1×1 Coreia do Sul

Rússia Russia EscudoIgor Akinfeev; Andrey Eshchenko, Vasiliy Berezutskiy, Sergei Ignashevic e Dmitri Kombarov; Denis Glushakov (Igor Denisov, 27’/2T), Viktor Fayzulin, Aleksandr Samedov, Oleg Shatov (Alan Dzagoev, 15’/2T) e Yuri Zhirkov (Alexander Kerzhakov, 26’/2T); Alexander Kokorin. Técnico: Fabio Capello.

Coreia do Sul Coreia do Sul EscudoJung Sung-Ryong; Lee Yong, Hong Jeong-Ho (Hwang Seok-Ho, 27’/2T), Kim Young-Gwon e Yun Suk-Young; Han Kook-Young, Ki Sung-Yueng, Lee Chung-Yong, Koo Ja-Cheol, Son Heung-Min (Kim Bo-Kyung, 39’/2T); Park Chu-Young (Lee Keun-Ho, 11’/2T). Técnico: Hong Myung-Bo.

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá

Árbitro: Néstor Pitana (ARG)

Gols:  Lee Keun-Ho e Alexander Kerzhakov

Cartões amarelos: Shatov (Rússia); Heung-Min e Sung-Yueng (Coreia do Sul)

Cartões vermelhos: Nenhum

O CARA

Alexander Kerzhakov entrou tendo cerca de 20 minutos para fazer a diferença e salvar a Rússia do empate, mas precisou de apenas três para balançar a rede e mostrar por que foi escolhido para resgatar o time.

OS GOLS

23’/2T – GOL DA COREIA DO SUL! Vendo que Akinfeev estava soltando todas, Keun-Ho decide testá-lo mais uma vez, arrisca de longe, e o goleiro russo aceita. Frangaço de Akinfeev, que solta a bola para trás e não consegue alcançá-la novamente a tempo.

29’/2T – GOL DA RÚSSIA! Três minutos após entrar na partida, Alexander Kerzhakov aproveita bate-rebate dentro da área, pega a sobra e empata para a Rússia.

A TÁTICA
Escalações iniciais de Rússia e Coreia do Sul
Escalações iniciais de Rússia e Coreia do Sul

Ambas as equipes entraram com esquemas e propostas semelhantes. Ninguém queria arriscar buscar o ataque, e o jogo só ganhou emoção quando perceberam que os goleiros não estavam em sua melhor noite. A Rússia, em especial, estava com seus jogadores pouco compactos. Kokorin esteve isolado em boa parte do tempo. A Coreia do Sul se fechava um pouco mais e só arriscava um ataque com os chutes de longe, sem nenhuma jogada bem trabalhada.

A ESTATÍSTICA

26

Número de gols a que Kerzhakov chegou com 0 tento de empate. A marca deixa o atacante do Zenit ao lado de Beschastnykh como maior artilheiro da seleção russa.