Karl-Heinz Rummenigge está mais do que contente com o atual formato da Champions League e deixou isso claro mais uma vez – agora, em entrevista à France Football. O chefe-executivo do Bayern de Munique rechaçou uma ideia de Superliga fechada entre as grandes potências do futebol europeu.

“O Bayern não tem interesse em uma Superliga fechada. Se a Superliga fosse criada, ela colocaria em questão um modelo que é universalmente aceito. O formato atual é também o formato do futuro, por que mudar? É uma competição fascinante”, defendeu Rummenigge.

Em janeiro deste ano, o dirigente do Bayern havia feito defesa parecida ao modelo atual, apontando que Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e um dos maiores defensores de uma nova competição continental, com equipes fixas, não consegue superar o fato de que os clubes ingleses ganhem tanto com direitos de transmissão de seu campeonato doméstico.

“Ele preside o clube mais poderoso e bem-sucedido do mundo, com uma grande força para atrair estrelas. Mas seu problema é que os clubes da Premier League ganham três vezes mais dinheiro de direitos de TV do que clubes da Espanha, Alemanha ou França”, disse Rummenigge à época.

Como entrevistado de uma publicação francesa, obviamente o dirigente foi perguntado sobre uma série de assuntos relacionados ao futebol francês. Um dos assuntos mais quentes desta reta final de temporada, o encerramento antecipado da Ligue 1 foi prematuro, na opinião do alemão.

“Vendo a partir da Alemanha, não é fácil fazer um julgamento da situação sanitária na França, mas ficamos com a impressão de que ela era mais grave do que na Alemanha. Os políticos tomadores de decisões quiseram ser prudentes, mas talvez eles devessem ter esperado algumas semanas antes de tomar uma decisão final. Eu sou um feroz opositor das decisões a portas fechadas. Claro, o Paris (Saint-Germain) teria sido campeão de qualquer maneira, mas entendo completamente meu amigo Jean-Michel Aulas, que é o grande perdedor nesta decisão prematura”, argumentou, em referência ao presidente do Lyon, que terminou em 7º lugar e acabou ficando de fora de competições europeias pela primeira vez desde 1996/97.

Contratação de Kouassi: “A formação francesa de jogadores é espetacular”

Na última semana, o Bayern de Munique apresentou Tanguy Kouassi, defensor de 18 anos formado pelo PSG e que viu seu vínculo com os parisienses chegar ao fim antes de acertar com o clube bávaro. O zagueiro se junta a um contingente francês que conta ainda com Corentin Tolisso, Kingsley Coman, Benjamin Pavard, Mickaël Cuisance e Lucas Hernández. Evidentemente, o Bayern mantém um olhar atento sobre os talentos que surgem na França, e Rummenigge destaca como os jogadores franceses demonstram maturidade já cedo.

“A formação francesa (de jogadores) é a mais espetacular, ela é única. Os jogadores são muito bem preparados física, técnica e taticamente. Jogadores de 20 anos já estão mostrando uma maturidade impressionante em seu jogo e sua personalidade. Eles trazem um aprimoramento para cada clube alemão. Claro, eles não são baratos, mas a proporção preço-qualidade é interessante. Nós os amamos, e eles se sentem bem conosco. Quando ele estava no Dortmund, eu adorava ver jogar o Ousmane Dembélé, era um dos meus jogadores favoritos.”

Questionado sobre a contratação específica de Kouassi, Rummenigge fez uma declaração que irá ao menos levantar sobrancelhas, argumentando que o Bayern não recruta jogadores para enfraquecer seus adversários – pensando aqui, é claro, no PSG como um oponente na busca pelo título da Champions League.

“O Bayern de Munique nunca contratou um jogador com o objetivo de enfraquecer um de seus concorrentes. Nossas relações com o PSG são muito boas. Gosto muito do meu colega Nasser al-Khelaïfi, ele está muito investido em seu projeto e faz um excelente trabalho. Nossos contatos com Leonardo são igualmente bons. Em relação ao caso do Tanguy Kouassi, é um jogador muito interessante, que recebeu diversas propostas lucrativas, notadamente do RB Leipzig. Pelo que entendemos, ele não queria prolongar sua aventura no Paris Saint-Germain, e, quando um talento desses planeja sua carreira no exterior, é lógico que um clube como o Bayern manifeste seu interesse.”