O técnico Celso Roth mostrou-se preocupado com os contra-ataques do Chivas no treino do Internacional na tarde de segunda-feira em São Paulo, de onde a equipe embarcou à noite rumo ao México, onde fará a primeira partida pela final da Taça Libertadores.

Roth comandou um coletivo em metade do campo do Parque São Jorge. A proposta era exercitar a saída de bola do time titular e, ao mesmo tempo, acertar o posisionamento diante de contra-golpes, uma das principais armas do time de Guadalajara.

“Será um jogo difícil. O Chivas é um bom time e não está na decisão do torneio por acaso. Eles sabem aproveitar muito bem o contra-ataque; tinham uma dificuldade em atuar fora de casa, mas no último jogo contra o Universidad de Chile venceram por 2 a 0 e mereciam um placar maior”, afirmou, em entrevista publicada no site oficial do Inter.

O treinador também relembrou os erros cometidos pelo Colorado na semifinal contra o São Paulo, e cobrou mais empenho para que eles não se repitam.

“A postura lá no México é a própria do Inter, de equilíbrio. Fomos bem equilibrados em São Paulo. Erramos duas vezes e levamos dois gols. A postura tem que ser a mesma, mas com menor quantidade de erros”, disse.

A provável escalação do Inter para a primeira partida da final é: Renan, Nei, Índio, Bolívar e Kléber; Sandro, Guiñazú, Giuliano (Wilson Matías), D'Alessandro e Taison; Alecsandro. (EFE)