O primeiro-ministro britânico Boris Johnson falou à nação no domingo (10), anunciando a primeira etapa do relaxamento do confinamento no Reino Unido. Na segunda-feira (11), diante do Parlamento, afirmou que o retorno do futebol seria “um impulso muito necessário ao moral da nação”. Danny Rose, lateral do Tottenham e atualmente emprestado ao Newcastle, discorda fortemente do premiê, apontando que a saúde deveria ser a prioridade: “Estou pouco me fodendo para o moral da nação”.

Durante live no Instagram, Rose deixou claro seu repúdio ao posicionamento do governo: “O governo falando para trazer o futebol de volta para dar um impulso no moral da nação. Eu estou pouco me fodendo para o moral da nação, mano. A vida das pessoas está em risco”.

Interessado em reativar a economia, Boris Johnson teria no retorno do futebol um forte aliado para alimentar uma futura narrativa de que as coisas estariam melhorando e que estaria cada vez mais seguro retomar a atividade econômica. Para Rose, “não deveriam sequer falar em futebol até que os números (de casos e mortes) tenham diminuído significativamente”.

O lateral está longe de ser a única voz preocupada com o retorno do futebol na Inglaterra. No fim de semana, reagindo a notícias de que três jogadores do Brighton haviam testado positivo para o Coronavírus, Todd Cantwell, do Norwich, tuitou: “Também somos pessoas”. Agüero, anteriormente, afirmou ter medo de voltar às atividades, enquanto Raheem Sterling também teme que o reinício não seja feito nas condições ideais.

“No momento em que voltarmos, precisa ser por razões para além do futebol. Precisa ser quando for seguro não só para nós, jogadores, mas para toda a equipe médica, os árbitros. (…) Quando a segurança de todos estiver garantida, este é o momento certo. Até lá, não tenho exatamente medo, mas tenho reservas e fico pensando em qual seria o pior resultado possível disso”, falou Sterling em seu canal no YouTube.

O governo britânico anunciou que não haverá eventos esportivos profissionais antes de 1º de junho. Em um cenário positivo, se julgarem como seguro, as autoridades poderiam permitir a retomada da Premier League pouco após essa data, ainda em junho. No entanto, a liga precisará resolver alguns entraves antes disso, com a discussão sobre campos neutros liderando o embate.