Wayne Rooney marcou o seu nome na história do Manchester United, tornando-se o maior artilheiro da história do tradicional clube. Fez 253 gols em 559 jogos pelo clube, com uma média de 0,45 gol por jogo. Aos 33 anos, o jogador está no DC United, da MLS, depois de deixar o Manchester United em 2017 e defender o seu time de infância, o Everton, por uma temporada, em 2017/18. O atacante comentou o momento do Manchester United e escolheu Mauricio Pochettino como o nome ideal para ser o técnico do clube na próxima temporada.

LEIA TAMBÉM: Mourinho sugere falta de apoio na estrutura no Manchester United para lidar com jogadores

Em 18 de dezembro, o Manchester United demitiu José Mourinho, com quem Rooney trabalhou em uma temporada, 2016/17. Desde então, chegou Ole Gunnar Solskjaer, que embalou seis vitórias seguidas, sendo a últimas delas sobre o forte Tottenham, do próprio Mauricio Pochettino. Rooney foi perguntado o que, afinal, poderia ter mudado para que os resultados e o desempenho tenham mudado tanto.

“Primeiro de tudo, você tem que dar a Ole uma oportunidade e essa é uma discussão que tem que acontecer com os Glazers [família dona do Manchester United]”, afirmou Rooney, em entrevista à ESPN. “Mas se eu tivesse a chance de escolher alguém, eu iria com tudo para Pochettino”.

“Eu acho que o Manchester United certamente, nos últimos 20, 30 anos, desde Alex Ferguson, se baseou em jogadores jovens, subir jogadores. Eu acho que Pochettino tira o melhor dos seus jogadores, sejam jovens ou mais velhos”, avaliou ainda o atacante, ex-Manchester United, que defende atualmente o DC United, na MLS.

“Você vê alguns dos jovens que ele trouxe no Tottenham, no Southampton, que jogaram na sua seleção nacional, então eu acho que ele cumpre todos os requisitos em termos de qualidade como técnico, mas também a sua vontade de dar chance a jovens”, analisou Rooney.

Sobre a mudança que aconteceu no Manchester United depois da saída de José Mourinho e a chegada de Ole Gunnar Solskjaer, Rooney definiu em uma palavra. “Prazer”, disse. “Eu acho que não foi agradável assistir ao Manchester United no último ano e sabendo que os jogadores não estavam felizes, eles não estavam aproveitando, e acho que tudo que ele [Solskjaer] fez foi dizer ‘vão e joguem, vão e se expressem, aproveitem’”, disse o jogador que detém o recorde de gols pelo Manchester United.

“Eu acho que se você chegar em Cristiano Ronaldo e Lionel Messi e dizer a eles que você tem que jogar aqui, tem que fazer isso, fazer aquilo, eles não serão os mesmos jogadores. Quando você está jogando no Manchester United, você é bom o bastante para saber como jogar o jogo e para saber o que fazer em campo. Você precisa de pequenos detalhes, é claro, mas o que mais os jogadores precisam é apenas jogar e aproveitar”, opinou Rooney.

Paul Pogba

“Quando eu penso em Paul, eu o vi subir da base no United e ele tem muita habilidade, mas o tempo difícil que ele estava passando é que, se você não tem um bom relacionamento com o técnico, então é difícil estar no seu mais alto nível se você sente que o técnico está criticando toda decisão que você toma, todo passe que você faz”, declarou o ex-capitão da seleção inglesa.

“Paul Pogba irá perder bolas, ele tentará passes e nem sempre acertará, mas você precisa deixa-lo fazer isso porque dois ou três deles irão criar gols, irão criar oportunidades. Eu acho que ele achou isso difícil com Mourinho. Eu acho que um jogador e um técnico com grandes egos se confrontaram e o resultado nunca poderia ser bom”, avaliou o jogador.

Marcus Rashford

“Quando eu voltei para jogar na seleção contra os Estados Unidos, eu falei com Marcus e ele estava tentando muito, se esforçando demais, ele estava trabalhando demais, e ele estava ficando cansado no final da temporada”, contou Rooney. “Mas a coisa assustadora com Marcus, quando ele corre para você com a bola, ele é impossível de se defender e eu o lembrei de continuar fazendo isso, apenas pegar a bola e correr para os defensores”.