O Athletico Paranaense dependeu, acima de tudo, de atitude para reverter sua situação contra o Grêmio nas semifinais da Copa do Brasil. O Furacão precisou se embeber do espírito que pulsava desde as arquibancadas da Arena da Baixada e, com a faca entre os dentes, desatar os nós que amarravam o seu destino na competição. O herói cabal da equipe de Tiago Nunes foi o goleiro Santos, com duas defesaças nos momentos cruciais, que mudaram os rumos da história. Igualmente, jogadores como Nikão, Bruno Guimarães e Robson Bambu merecem menções. Ainda assim, o responsável por abrir caminhos aos rubro-negros foi Rony. O atacante, que se casa tão bem à filosofia de jogo athleticana, contribuiu decisivamente à noite gloriosa.

A Arena da Baixada representa a segunda chance de Rony na primeira divisão do Brasileirão. O atacante de 24 anos despontou com a camisa do Remo, mas não teve espaço depois que foi contratado pelo Cruzeiro. Anotou seus gols pelo Náutico e chegou até a passar pelo Japão, com a camisa do Albirex Niigata. Destaque na J-League, Rony manifestou sua vontade de retornar ao Brasil diante do rebaixamento de seu clube. Treinou no Botafogo, em negócio que não se concretizou. Então, o Athletico vislumbrou a possibilidade e foi bem mais feliz na transferência. Acertou a compra em julho de 2018, logo transformando o novato em peça importante.

Havia certa precaução sobre o início de Rony no Athletico, por conta do período em que ficou inativo. Não demorou para que o novato comprovasse as suas reconhecidas qualidades, com a boa movimentação pelos lados do campo e a intensidade. Durante os primeiros meses, Tiago Nunes muitas vezes utilizou o atacante a partir do segundo tempo, participativo nas boas campanhas do Furacão. Firmou-se como titular em 2019 e ajudou um pouco mais no sucesso dos rubro-negros em suas diferentes frentes.

O mais importante no jogo de Rony é o ritmo que ele consegue imprimir. Transita bastante nos arredores da área e contribui à construção do Athletico Paranaense com essa participação. Já tinha feito algumas boas atuações em vitórias importantes do Furacão, especialmente pela ajuda em puxar os avanços verticais dos rubro-negros. Mesmo assim, a exibição na virada sobre o Grêmio vale os elogios pela postura decisiva do paraense. Por sua atitude.

Rony foi o caminho dos gols ao Athletico Paranaense. Quando Leonardo precisou sair de campo ao se lesionar, o atacante aproveitou o espaço pela esquerda e criou a jogada que rendeu o primeiro gol. Pois a entrada de Galhardo com a camisa tricolor não resolveu o problema. O rubro-negro continuou partindo para cima e acabando com o seu novo marcador. Deu chapéu, driblou e criou bastante na avenida que conseguia abrir. Desequilibrava. E, em uma ótima construção do Furacão, também se responsabilizou pelo cruzamento preciso que permitiu o segundo gol da equipe, em desvio de Marco Ruben.

Uma pena que Rony não pôde ficar até o final da partida. Extenuado, o atacante acabou saindo para a entrada do jovem Vitinho. Os rubro-negros perderam força depois disso e nem mesmo a entrada de Marcelo Cirino, deixando o time ainda mais ofensivo, contribuiu ao terceiro gol. O trabalho, ao menos, estava feito para garantir os pênaltis. Santos se firmou como o grande protagonista da noite, ao evitar o gol contra de Marco Ruben e pegar o penal de Pepê. Com méritos por sua agressividade na Arena da Baixada, o Furacão se confirmou na decisão.

Entre outros bons jogadores deste Athletico Paranaense, nem sempre Rony aparece no radar. Entretanto, o atacante merece ser lembrado como uma figura importante neste sucesso recente e com margem a crescer ainda mais. Já tinha anotado um gol de valor inestimável contra o Flamengo e, nesta quarta, teve muita fome de bola para transformar a situação difícil contra o Grêmio. Deverá receber cuidados especiais do Internacional na preparação antes da final, na próxima semana.
 

Confira abaixo o vídeo mais recente de nosso canal no YouTube – aproveita e se inscreva no canal!