A relação entre Romário e Edmundo, dois grandes astros do futebol brasileiro, teve altos e baixos. Ao longo das suas carreiras, variou do amor da amizade ao ódio entre dois craques que não se bicavam. Mas, em um verão de 2000, ambos fizeram momentaneamente as pazes durante a campanha do Vasco no Mundial de Clubes do Brasil e tiveram o grande momento juntos na vitória por 3 a 1 sobre o Manchester United, no Maracanã, com dois gols do Baixinho e um do Animal, 20 anos atrás.

É sintomático que a reportagem da Folha de S. Paulo sobre o jogo tenha destacado coisas como “o primeiro abraço trocado pelos atacantes com a camisa do Vasco”, depois de Romário abrir o placar. O lance começou com um passe errado de Gary Neville que deixou Edmundo cara a cara com Bosnich. Ele poderia ter chutado, mas preferiu rolar para o companheiro deixar o seu. “Não estamos aqui para brigar”, disse Romário. “Precisamos fazer gols para vencer. Quanto mais gols, melhor”.

Gary Neville também estava em uma vibe “quanto mais gols melhor”, especialmente se eles fossem do Vasco, e cedeu o segundo de presente para Romário. Tentou recuar de peito, não conseguiu e observou o craque driblar o goleiro australiano e ampliar o placar. Antes do intervalo, Edmundo deu um drible desconcertante em Mikael Silvestre antes de fazer o terceiro com uma pintura.

O Manchester United, em “missão diplomática no Brasil”, não teve uma grande apresentação no Mundial de Clubes. Viajou apenas para atender a recomendação da Federação Inglesa que buscava sediar a Copa do Mundo de 2006 e não queria desagradar a Fifa. Beckham havia sido expulso no primeiro jogo contra o Necaxa, empate por 1 a 1, e era desfalque. A derrota eliminaria os ingleses.

Depois de um pavoroso primeiro tempo, eles até tentaram alguma coisa no segundo, inspirados pela entrada de Teddy Sheringham. Ele quase descontou por cobertura e teve um gol anulado por falta marcada em Helton. Kean, de fora da área, exigiu boa defesa do goleiro brasileiro, e Giggs mandou uma excelente oportunidade por cima. Apenas nos minutos finais, Jordi cobrou falta ensaiada para Keane pela esquerda. O volante rolou para Nicky Butt completar.

“Nosso entrosamento já existe há algum tempo, mas, se não fosse a ajuda dos companheiros, ficaria difícil. O Juninho, o Felipe e o Ramón estão enviando boas bolas para nós”, comemorou Edmundo, sobre o sucesso da dupla com Romário que, porém, não duraria muito tempo. No estadual daquele mesmo ano, houve o incidente do bobo da corte, e Edmundo sairia para o Santos, em julho. Mas os torcedores vascaínos puderam curtir um lindo sonho de verão quando dois dos melhores atacantes que já viram uniram forças e quase garantiram um título mundial para o clube, mesmo que o final da história tenha sido amargo.

.