Quem disputará o título do Campeonato Italiano com a Juventus? Ou, na impossibilidade de haver realmente uma briga pelo título, ficar em segundo lugar? Com um favoritismo tão grande da Velha Senhora, essa pergunta acaba sendo uma das mais interessantes da Serie A. Nos últimos quatro anos, Napoli e Roma revezaram-se nesse posto, duas vezes cada um. E, neste sábado, o time da capital venceu o confronto direto, fora de casa, por 3 a 1, aproveitando falhas graves da defesa napolitana.

LEIA MAIS: Cartão verde, o indicativo do fair play, é aplicado pela primeira vez pelo futebol italiano

Nada que tire os méritos da Roma. O Napoli não perdia em seus domínios, pelo Campeonato Italiano, desde maio de 2015. Caiu uma sequência de 22 partidas, com 19 vitórias. A última vez que própria Roma venceu no San Paolo foi em dezembro de 2011, cinco anos atrás, com direito a gol de Fábio Simplício (sim, aquele).

Desta vez, a vitória veio pelos pés de Dzeko, com uma contribuição interessante da defesa do Napoli. O ótimo Koulibaly foi desarmado por Salah, na ponta esquerda, e o bósnio estava esperto para completar o cruzamento, de primeiro. O segundo gol romanista foi ainda pior: cobrança de falta de Florenzi pela direita, Reina ficou no meio do caminho, e Dzeko conseguiu completar de cabeça sem ter que pular um centímetro.

Sarri voltou com Mertens no lugar de Gabbiadini, e o Napoli melhorou. Debaixo de um forte sol, conseguiu descontar com Koulibaly, que se redimiu do seu erro anotando um gol de cabeça, em cobrança de escanteio. Mas Salah, no contra-ataque, saiu nas costas da defesa e matou a partida, a cinco minutos do fim.

A Roma pulou à frente do Napoli e é a segunda colocada, com 16 pontos, contra 14 do rival. Lazio, Chievo e Milan, com 13, ainda jogam nesta rodada.