O Maracanã recebeu um clássico entre dois coadjuvantes na tabela, com um público baixo (11 mil) e um gramado ridículo para a prática de futebol. Mas ainda que muito pesasse contra o Fluminense x Botafogo deste domingo, o jogo teve um grande herói. O goleiro Rodolfo disputou uma partida desde que chegou às Laranjeiras, trazido do Oeste. Justamente no clássico, entretanto, precisou assumir a bronca e substituir Júlio César no segundo tempo. Não apenas deu conta do recado, como virou salvador. O pênalti defendido aos 40 minutos do segundo tempo rendeu uma vitória importante ao Flu, que se firma na metade de cima da tabela.

O clássico não demorou a ficar favorável para o Fluminense. Pressionando, os tricolores abriram o placar logo aos 11 minutos. Everaldo tentou emendar a bicicleta após a cobrança de escanteio e Digão apareceu na pequena área para estufar as redes. O time de Marcelo Oliveira era melhor na partida, mas o Botafogo deu os seus sustos. Pouco antes do intervalo, forçaria duas grandes defesas de Júlio César. Mas ao espalmar um chute alto de Rodrigo Lindoso, o camisa 1 sentiu as costas. Esfriou nos vestiários e acabaria pedindo para sair. A chance para Rodolfo.

Rodolfo tem uma história particular no futebol. O momento de maior repercussão em sua carreira aconteceu no Atlético Paranaense, mas não necessariamente por causa do futebol. O goleiro chegou a ser pego duas vezes no exame antidoping e corria o risco de ser banido do esporte, mas ganhou nova chance. Admitidamente dependente químico, usuário de cocaína, pediu ajuda ao clube e passou por um período de reabilitação. De volta às atividades no Furacão em 2014, disputou jogos principalmente no Paranaense, antes de ser emprestado duas vezes à Ferroviária. Já no último ano, defendeu a meta do Oeste no Paulista e na Série B. Em fevereiro, por intermédio de Paulo Autuori, assinou com o Flu. Contudo, desde então, só havia disputado uma partida, contra a Cabofriense no Carioca. Até a sua sorte mudar neste domingo.

O Botafogo saía mais para o jogo no segundo tempo do Maracanã, até que um pênalti fosse marcado a seu favor aos 40 minutos, por toque de mão flagrante de Ayrton Lucas. Rodrigo Lindoso partiu para a cobrança. E por mais que o alvinegro tenha soltado o pé, Rodolfo foi bem no lance. Saltou à sua esquerda e conseguiu buscar a bola à meia altura, não muito bem colocada. Defesa comemorada por todos os companheiros. Ao final, um contra-ataque desperdiçado poderia ter dado ao Fluminense o segundo gol, mas não atrapalhou a festa.

A vitória em um clássico de seis pontos deixa o Fluminense com 31, na nona colocação. Já o Botafogo estaciona com 26, a dois pontos e a duas posições da zona de rebaixamento. Tarde inesquecível a Rodolfo, que se mostra pronto a substituir Júlio César quando preciso e, mais importante, a seguir escrevendo sua redenção no futebol.

* Fica o prometido abraço aos amigos brasileiros do reddit, pela força constante. Salve, galera!


Os comentários estão desativados.