Desde a virada do ano, o Leicester não consegue mais reencontrar seu melhor futebol. Por um momento na primeira metade da temporada, tirando o Liverpool, era a equipe que mais encantava na Premier League, sobretudo pela maneira como atuava muito além das expectativas, levando-se em conta seu elenco e o poderio financeiro em comparação com os concorrentes. Essa fase, no entanto, parece cada vez mais distante. A paralisação do futebol não serviu para as Raposas se acharem novamente. Em vez disso, a fase só piora, e o técnico da equipe, Brendan Rodgers, já ligou o sinal de alerta.

Após a derrota por 2 a 1 para o Everton na quarta-feira (1), a segunda seguida no Campeonato Inglês, o treinador afirmou que sua equipe tem qualidade, mas que precisa de um “reset mental” para se manter viva na briga por uma vaga na próxima edição da Champions League.

“Sei que temos um grupo muito jovem, um elenco jovem que está se desenvolvendo. Porém, se você quer competir consistentemente no topo da tabela, é uma questão de mentalidade. Acho que mostramos ao longo da temporada que temos o talento, mas, sem dúvidas, precisamos de um reset mental para alcançar o que queremos alcançar”, alertou.

O revés contra os Toffees levou o Leicester ao quarto jogo sem vitória nas quatro partidas que disputou pela Premier League desde o retorno do campeonato após paralisação devido ao Coronavírus. Nos dois primeiros jogos, empates contra Watford e Brighton. Na sequência, derrotas para Chelsea e, agora, Everton.

“Eu disse durante o intervalo: ‘Já houve muitas vezes em que tive que vir aqui e sentir que tinha que resgatar o jogo ou fazendo uma mudança ou com uma conversa de intervalo mais agressiva para ter uma resposta. (…) Houve muitas vezes que tivemos que ter essa mudança de mentalidade. Eu assumo a responsabilidade pelos resultados, é para isso que estou aqui.”

Apesar do sobreaviso, Rodgers procura lembrar que o Leicester ainda é o terceiro colocado do campeonato, embora a distância para o quinto lugar, ocupado pelo Manchester United, tenha caído para apenas três pontos, com seis rodadas restantes pela frente.

“Estamos em uma posição forte, ainda está em nossas mãos alcançar o que seria um sonho para nós (a vaga na Champions League). Mas, desde que voltamos, não acertamos completamente na atuação. Precisamos vencer no sábado (contra o Crystal Palace)”, cobrou.

No momento, a briga pelas duas últimas vagas na Champions League parece estar entre quatro equipes: Leicester, Chelsea, Manchester United e Wolverhampton, e apenas três pontos separam as Raposas dos Lobos.

O time de percurso mais simples nesta reta final é o Manchester United, que enfrenta oponentes claramente inferiores no papel, com exceção da rodada final, quando pega justamente o Leicester. As Raposas têm, dentre seus seis oponentes seguintes, Arsenal, Tottenham e os Diabos Vermelhos. O Chelsea encara o campeão Liverpool e, na última partida, o Wolverhampton. Este, por sua vez, tem, além dos Blues, Arsenal e Everton, este último em ascensão recente sob Ancelotti.