Enquanto prepara seus comandados para o reinício da Premier League no próximo mês, Brendan Rodgers, técnico do Leicester, concedeu entrevista à BBC e revelou ter contraído a Covid-19, sofrendo por três semanas: “Eu mal conseguia andar, me lembrou de quando escalei o Monte Kilimanjaro”.

Rodgers conta que começou a apresentar os sintomas logo nas primeiras semanas após a paralisação da Premier League. “Tivemos uma semana de folga, quando deveríamos ter jogado com o Watford, e então na semana seguinte comecei a ter dificuldades.”

Apresentando os sintomas da doença, Rodgers e sua mulher foram testados, e o resultado foi positivo para ambos. “Durante três semanas, não sentia cheiro ou gosto. Estava sem força, e, uma semana depois, minha mulher estava do mesmo jeito. Ambos fomos testados, e detectaram o vírus em nós dois. Isso me lembrou de quando escalei o Kilimanjaro. Quanto mais alto você ia, mais você sofria com a aclimatação e mais difícil era para respirar”, descreveu.

Mesmo com seu histórico de atleta, tendo tido uma carreira profissional de nove anos entre as décadas de 1980 e 1990, Rodgers conta que mal conseguia correr dez metros: “Lembro de tentar correr pela primeira vez (depois de ficar doente), e era difícil correr dez metros. Não tinha apetite, e era uma sensação estranha de comer comida sem sentir o gosto ou o cheiro. Isso me fez apreciar de verdade estar em forma e saudável”.

Plenamente recuperado, o treinador expressou sua felicidade em reencontrar seus jogadores na preparação para o reinício da Premier League. Ele garante que todo mundo está em forma, como se não tivessem parado.

“Foi bom ter aquele contato de novo e estar perto deles. Nos últimos dias, nos separamos em grupos de 12, o que não é normal, mas tem sido muito legal a maneira como eles têm se adaptado. O ritmo do treinamento mudou, mas estou muito satisfeito com eles fisicamente, e é como se eles nunca tivessem saído”, contou.

Alguns jogadores da Premier League, como Troy Deeney e N’Golo Kanté, ignoram os avanços do Projeto Reinício e, por enquanto, não desejam voltar aos treinamentos ou jogar por não se sentirem seguros o suficiente. Perguntado se havia algum atleta em seu elenco com o mesmo posicionamento, Rodgers disse que, por ora, nenhum deles deu qualquer indicação de que não queira jogar.

“Eu me sinto seguro, e nós somos muito sortudos no futebol por estarmos sendo testados duas vezes por semana. Uma das coisas principais para manter o vírus distante é estar ao ar livre, e é assim que estamos o dia inteiro, então somos muito sortudos. Quando irmos aos estádios, não estaremos no mesmo vestiário. Estaremos em quatro ou cinco áreas diferentes, então isso é um exemplo de adaptação.”

A nove rodadas do fim da Premier League, o Leicester terá o duro desafio de buscar a melhor forma que apresentou na primeira metade da temporada para conseguir manter seu atual terceiro lugar na classificação, que o leva à próxima Champions League. Os Foxes têm atualmente 53 pontos, cinco a mais que o quarto colocado, Chelsea, e oito de vantagem para o Manchester United, que ocupa o quinto lugar.