Galvão Bueno popularizou o bordão “Quem é que sobe?”, usado normalmente quando vem uma bola na área e especialmente em jogos da seleção brasileira. Na Premier League, sabemos quem é que sobe. É o Liverpool, de Jürgen Klopp, que sobe cada vez mais na tabela e vai deixando os rivais cada vez mais distantes. Nesta quarta-feira, no Boxing Day, o time atropelou o Leicester, mesmo jogando fora de casa, em um avassalador 4 a 0.

Diante do futebol jogado pelos Reds, o treinador do Leicester, Brendan Rodgers, elogiou o seu ex-clube e considera que será muito difícil impedir que o Liverpool conquiste sua primeira Premier League – a última conquista do Campeonato Inglês foi em 1989/90, antes da reformulação que batizou o Inglesão como Premier League.

“Eles serão muito, muito difíceis de parar, sem dúvida. Time fantástico. A confiança está alta também. Eles se tornaram vencedores agora e não perderam muitos jogos nos últimos 18 meses. Eles têm jogadores, experiência e qualidade suficientes para manter o foco e fazer o trabalho”, disse o técnico do Leicester.

Rodgers era o técnico do Liverpool na temporada 2013/14, quando o time brigou pela taça até a reta final. Foi quando houve aquele escorregão de Steven Gerrard em Anfield Road, diante do Chelsea, o Liverpool perdeu, o Manchester City passou e o time não se encontrou mais. A temporada que teve esperança de quebra de jejum terminou em frustração – ainda que muito melhor que nas temporadas anteriores, que o clube sequer chegava à Champions. Rodgers foi demitido do Liverpool em outubro de 2015, quando chegou Jürgen Klopp.

Klopp, porém, não teve vida fácil. Sua primeira temporada acabou com o time fora da Champions League e houve contestação. O time voltou a ir à Champions League, foi à final da Liga Europa – perdeu do Sevilla – e chegou à final da Champions League em 2017/18. Perdeu do Real Madrid. Na temporada passada, brigou pelo título efetivamente pela primeira vez desde que chegou, mas apesar da campanha ter sido recorde de pontos, acabou em segundo atrás do fantástico Manchester City de Pep Guardiola. Desta vez, o Liverpool dita o ritmo e parece na rota do título.

O Leicester, por sua vez, faz uma campanha que é melhor até que aquela mágica campanha do título em 2015/16. O time tem jogado um futebol elogiado, com razão, e ganhando muitos pontos. Só que os dois últimos jogos do Leicester foram duros. Duas derrotas que podem fazer o time perder o segundo lugar na tabela, mas ainda muito boa. Era visto como um time capaz de criar problemas para o Liverpool, mas o que se viu em campo passou bem longe disso.

Depois de perder por 3 a 1 do Manchester City fora de casa na rodada passada, no sábado, 21, o Leicester perdeu por 4 a 0 para o Liverpool. São os dois principais concorrentes ao título, ou ao menos eram antes da temporada. “Os últimos dois jogos foram ótimos pontos de referência para nós. Pela causa do nosso desempenho, fomos catapultados para a disputa pelo título, mas você viu nos últimos jogos e a qualidade dos adversários que jogamos, e o Liverpool foi absolutamente fantástico”, afirmou ainda o treinador.

Klopp: “Não me parece que está decidido”

Jürgen Klopp, do Liverpool, é abraçado por Roberto Firmino (Getty Images)

A vantagem de 13 pontos na tabela não ilude Jürgen Klopp. Ou, ao menos, esse é o discurso. “A única coisa que muda na pergunta é que o número é diferente. Eram 10, 11, agora 13. Mas nós na verdade não sentimos isso, não pensamos nisso, e não mencionamos isso nenhuma vez antes porque apenas não é interessante. Nós todos sabemos disso”.

“Eu mesmo posso escrever as histórias. A história é que nunca na história do futebol britânico ao menos um time teve uma vantagem maior e perdeu a liderança. Então isso soa, aos meus ouvidos, negativo. Então, por que nós deveríamos pensar algo assim?”, disse Jürgen Klopp na coletiva após seu time golear o Leicester.

“Eu posso dizer a vocês que nós jogaremos contra os Wolves, Sheffield United, Everton, Tottenham e Manchester United nos nossos próximos cinco jogos. Não parece que nada está decidido aos meus ouvidos. Nós temos que jogar contra todos eles e nós tentaremos garantir que estamos prontos para todos estes jogos”, declarou ainda o alemão.

O lateral Trent-Alexander Arnold disse depois do jogo que acredita que o jogo contra o Leicester foi o melhor do Liverpool na temporada. Klopp, porém, não acha. Quando perguntado se o Liverpool já tinha jogado melhor do que isso na temporada, ele deixou isso claro. “Ah sim, eu diria que sim. Nós jogamos uma partida excepcional contra o Manchester City, um super jogo contra o Arsenal. Nós jogamos boas partidas nesta temporada. Eu não tenho certeza se foi melhor, apenas diferente”, descreveu.

“Nesta noite o desempenho foi o que precisávamos, nós não tivemos problemas reais no jogo porque os rapazes estavam 100% no jogo. Eles jogaram uma partida de futebol realmente boa, muito, muito boa. Completamente focados”, continuou Klopp.

Robertson: “Voltamos campeões do mundo. Se isso não dá confiança, não sei o que daria”

Andrew Robertson, lateral do Liverpool (Getty Images)

O lateral Andrew Robertson comentou sobre a partida do Liverpool e também sobre a viagem longa, voltando do Catar depois do Mundial de Clubes. Para o escocês, a mentalidade é um dos pontos fortes do time e tudo caminha para algo positivo. “Se você não se anima em jogar uma partida pelo Liverpool, então você não se anima para muitas coisas”, disse o lateral.

“Os rapazes aforam jogar, nós somos pagos para jogar as partidas, nós gostamos de jogar juntos e gostamos de estar juntos, trabalhar duro e tentar conquistar as coisas e é isso que nós temos feito”, continuou Robertson. “Voltando de Doha, sim, foi um longo voo e nós tivemos dois jogos, incluindo prorrogação, mas nós voltamos campeões do mundo. Se isso não nos dá um pouco de confiança, então eu realmente não sei o que daria, então nunca estivemos preocupados com isso”.

“Nós sabíamos que as nossas pernas estavam preparadas, nós fizemos tudo certo nos últimos dias e se tratava apenas de mostrar isso, porque as desculpas estavam lá para as pessoas usarem, mas esses rapazes não dão qualquer desculpa”, declarou ainda o jogador. “Nós juntos todos os dias e é por isso que sempre estamos 100%. Sim, é fácil falar agora que vencemos por 4 a 0; mesmo se nós tivéssemos perdido, não seria por causa da viagem”.

“Eu acho que tivemos um desempenho completo, acho que fomos incríveis do começo ao fim. Nós começamos com um ritmo alto e forçamos o Leicester a cometer erros. Eles não jogaram tão bem quando eles gostariam, nós sabemos disso, e eles nos deram a chance de vencer a posse de bola, mas foi por causa da nossa pressão e o ritmo que nós estávamos jogando”, descreveu o lateral.

“Eu acho que é foi nosso jogo do ano e que momento para fazer isso, mas são apenas três pontos, então não podemos nos deixar levar. Nós temos grandes jogos a seguir. Mas ficar mais três pontos à frente dos nosso rivais mais próximos é sempre bom”, continuou Robertson.