Se na frente da disputa pelo título a Serie A não teve emoção alguma, com a Juventus garantindo mais um título com facilidade, a disputa pela Champions League foi tão eletrizante quanto possível. Quatro times foram para a rodada final brigando por dois lugares, e três deles se envolveram em uma valsa quase inacabável ao longo dos 90 minutos dos jogos. No fim, Atalanta e Inter celebram sua classificação à Liga dos Campeões da próxima temporada.

A Roma precisava de uma combinação bastante improvável de resultados para conseguir a vaga, então a briga era mesmo entre Atalanta, Milan e Inter. A dança de cadeiras na tabela foi constante, e em momentos os jogos pareciam até sincronizados, com gols e lances importantes acontecendo paralelamente.

Ao fim do primeiro tempo, os classificados à Champions eram Milan, que vencia, e Atalanta, que empatava. A Inter não havia saído do zero e, com os mesmos 67 pontos que o time de Bérgamo, ficava de fora no critério de desempate principal, o confronto direto.

Antes mesmo dos dez minutos de segundo tempo, tudo havia mudado. Uma sequência implacável e coordenada mexeu na tabela. Aos cinco, a Inter abre seu placar; aos oito, Atalanta (2×1) e Spal (2×2) marcam

No fim, o Milan, mesmo com a vitória, acabou na quinta colocação, indo à Liga Europa, enquanto o Genoa se salvou do rebaixamento e viu o Empoli cair à Serie B. E mesmo isso esteve perto de mudar. Aos 44 minutos do segundo tempo, quase simultaneamente, Spal e Empoli acertaram a trave. Foi coisa de louco acompanhar minuto a minuto quem se dava bem e quem se dava mal. Confira o resumão e os gols dos grandes duelos desta rodada final frenética da Serie A.

Atalanta 3×1 Sassuolo

Atalanta vai à Champions (Divulgação)

Com sua casa já fechada para reformas, a Atalanta teve que decidir sua vaga inédita à Champions League fora de Bérgamo, no Estádio Città del Tricolore. Apesar de começar melhor, encurralando o Sassuolo em seu campo de defesa, foram os visitantes que abriram o placar. Após bela e rápida jogada coletiva, Domenico Berardi completou passe de calcanhar de Duncan e fez 1 a 0 aos 19 minutos de jogo.

Quinze minutos depois, veio o empate. Após cobrança de escanteio, Duván Zapata tentou uma, duas, três vezes e, aos trancos e barrancos colocou a bola no fundo da rede. Checado pelo VAR, o lance foi validado quando o árbitro confirmou que a bola tocara apenas o queixo do artilheiro.

O gol deu uma acordada no Sassuolo, que acelerou seu ritmo e partiu para o ataque, assustando o time de Bérgamo. Em bela jogada individual, Duncan bagunçou a defesa, atraiu o goleiro Pierluigi Gollini para perto de si e rolou para trás. Berardi chegou batendo forte, mas a zaga da Atalanta salvou no meio do caminho.

Após o apito que encerrou o primeiro tempo, uma confusão iniciada entre De Roon, da Atalanta, e Magnanelli, do Sassuolo, se tornou generalizada e resultou no cartão amarelo para a dupla e no vermelho para o decisivo Berardi. O caminho da Atalanta até a principal competição do futebol europeu começava a se pavimentar.

O time da “casa” aproveitou bem a superioridade numérica e não tardou a marcar na segunda etapa. Aos oito minutos, Papu Gómez pegou rebote e encobriu o goleiro Gianluca Pegolo para virar para 2 a 1. Doze minutos depois, Gómez fez bela jogada pela esquerda e cruzou para Pasalic, de cabeça, ampliar para 3 a 1.

A equipe de Bérgamo então controlou o restante do jogo e ainda viu Magnanelli ser expulso e diminuir o número de atletas do Sassuolo para nove em campo. Sem depender de nenhum outro resultado, a Atalanta pôde comemorar tranquilamente sua inédita classificação à Liga dos Campeões.

Spal 2×3 Milan

Milan de Gattuso venceu, mas não vai à Champions League (Divulgação)

No Estádio Paolo Mazza, em Ferrara, o Milan visitou a SPAL precisando vencer e contar com um tropeço de seu arquirrival e da Atalanta. Durante parte significativa da rodada, pareceu destinado a retornar à maior competição europeia pela primeira vez desde 2014.

Melhor que o adversário em grande porção do primeiro tempo, o Milan abriu o placar aos 18 minutos, com Hakan Çalhanoglu batendo rasteiro após cruzamento baixo de Franck Kessié. Cinco minutos depois, o marfinense apareceu novamente, desta vez com o protagonismo todo para si. Da direita, recebeu a bola, driblou a marcação com um corte e, de esquerda, bateu no ângulo direito superior de Viviano para fazer 2 a 0 com um golaço.

Donnarumma, machucado, havia deixado o campo aos 20 minutos, dando lugar a Pepe Reina. O espanhol não conseguiu evitar o gol da SPAL que recolocou o time da casa no páreo. Após cruzamento, Francesco Vicari diminuiu de cabeça o placar para 2 a 1.

No segundo tempo, à medida que a Atalanta definiu sua classificação, Inter e Milan passaram a se alternar na tabela conforme seus resultados iam mudando. Os rossoneri, que no intervalo iam à Champions, viram a sorte mudar subitamente. Em rápida sucessão, dos cinco aos oito minutos da segunda etapa, a Inter abriu o placar em Milão, a Atalanta virou, e, em Ferrara, Mohamed Farès, de cabeça, empatou para a SPAL.

O time da casa cresceu no segundo tempo, ameaçando bastante a equipe de Gattuso, mas foram os visitantes que tomaram a frente. Aos 21 minutos, Piatek sofreu pênalti ao tentar subir para cabecear uma bola cruzada, e Kessié, de novo ele, converteu a cobrança para fazer 3 a 2.

Apesar do resultado favorável, o Milan não vai à Champions League. As lições estão aí para serem aprendidas, mas os rossoneri podem também comemorar alguns pontos positivos, sobretudo a contratação acertadíssima do goleador Piatek.

Internazionale 2×1 Empoli

Nainggolan fez gol da vitória e classificação da Inter (Divulgação)

O que o desespero não faz? Em Milão, a Inter fez seu melhor primeiro tempo no campeonato de que se tem memória. Mais do que isso, registrou o maior número de finalizações ao gol entre todos os times desta Serie A na temporada: oito. Forçou o jovem goleiro Bartlomiej Dragowski a trabalhar, e como o polonês trabalhou.

Foram ao menos duas defesaças do arqueiro do Empoli, primeiro em cabeçada fulminante de De Vrij após cobrança de escanteio aos 27 minutos. Depois, em chute forte de Asamoah, já no fim do primeiro tempo.

Do outro lado, o Empoli, dependendo só de si para se livrar do rebaixamento, também ameaçou. Handanovic trabalharia muito no segundo tempo, mas já teve que aquecer também na primeira etapa. Aos 31 minutos, foi brilhante ao sair do gol e defender com o corpo o chute de Caputo.

A intensidade da Inter no primeiro tempo não fora suficiente para inaugurar o placar, então Luciano Spalletti voltou do intervalo já com uma alteração: Asamoah deu lugar a Keita Baldé Diao, e o senegalês logo fez a diferença.

Aos seis minutos do segundo tempo, Keita recebeu de Politano, driblou dois adversários e bateu forte, no canto direito inferior de Dragowski, para balançar as redes: 1 a 0. Não havia nada que o polonês pudesse fazer.

A Inter seguiu pressionando, e uma bola recuada errada da zaga do Empoli complicou Dragowski, que chegou tarde, derrubou Icardi e cometeu o pênalti. A Inter, que até então acertara todas as suas penalidades na competição, parou no jovem goleiro. Dragowski pulou bem para impedir o 2 a 0 pelos pés do atacante argentino – que pouco mais tarde deixou o campo, sob vaias (dos ultras) e aplausos (dos torcedores “comuns”).

Handanovic travava um duelo pessoal com o brasileiro Diego Farias. Em bonito lance, o atacante ficou cara a cara com o esloveno e, ao tentar driblar o goleiro para fazer o gol do empate, foi desarmado pelo arqueiro.

O resultado classificava a Inter, mas, aos 31 minutos do segundo tempo, Traoré completou cruzamento e, sozinho, empurrou para as redes para fazer 1 a 1. O Milan tomara a frente lá em Ferrara minutos antes, então naquele momento a Inter estava fora da disputa.

Mas isso durou pouco. Uma bomba de Politano, de fora da área, acertou a trave, e Nainggolan, a grande e controversa contratação da Inter na temporada, completou no rebote para fazer 2 a 1.

Momentaneamente rebaixado, o Empoli se lançou ao ataque. Diego Farias quase empatou, mas foi negado por Handanovic, com uma defesaça. A resposta foi imediata, e Baldé Diao forçou Dragowski a também realizar grande lance.

Nos acréscimos, o goleiro polonês subiu à área da Inter para tentar o gol do empate. O time da casa ficou com a bola e partiu rápido para o ataque. Do meio do campo, Brozovic arriscou para o gol vazio e fez o 3 a 1. O resultado, que parecia definir de vez os classificados à Champions, na verdade virou o catalisador do drama extra: Keita cometera falta em Dragowski enquanto o goleiro tentava voltar para sua meta. Com amarelo já nos registros, o atacante foi expulso após revisão com o VAR, e o jogo, que deveria ter acabado, ganhou mais alguns minutos.

O Empoli ainda criou um par de chances, mas não conseguiu evitar a derrota e o consequente rebaixamento. Dependia apenas de si, mas o adversário era duro e lutava para ir à Champions League. Brigou bravamente, mas no fim sucumbiu aos nerazzurri e, agora, joga a Serie B em 2019/20.