O Japão foi a primeira seleção a confirmar presença na Copa do Mundo de 2014 através das eliminatórias. E o único país asiático a carimbar o passaporte por antecipação. A última rodada da quarta fase da competição, marcada para a próxima semana, definirá mais três classificados para o Mundial. E contará com verdadeiras decisões no continente.

A principal partida acontecerá em Ulsan, na Coreia do Sul. Líder do Grupo A, a seleção da casa está a um ponto de assegurar sua oitava participação consecutiva em Copas, um recorde na Ásia. Mesmo se perder, os sul-coreanos têm muitas chances de vir ao Brasil, já que possuem saldo de gols bastante superior ao do Uzbequistão, derrotado nesta terça por 1 a 0, em resultado vital em Seul. Porém, terão pela frente o Irã, adversário bastante motivado.

Os iranianos também ficam em situação bastante confortável com um empate, pela vantagem no saldo quanto ao Uzbequistão. No entanto, a vitória teria um significado ainda maior diante o momento político vivido no país, às vésperas das eleições presidenciais que definirão o sucessor de Mahmoud Ahmadinejad.

Mais do que isso, o jogo ida em Teerã contou com trocas de acusações entre a delegação sul-coreana e os iranianos. O próprio técnico dos Guerreiros de Taegeuk afirmou que uma vitória sobre o Irã seria uma forma de vingança pela falta de hospitalidade. Para tanto, terão que superar uma equipe embalada, que goleou o Líbano por 4 a 0 nesta terça. Além de Coreia do Sul e Irã, o Uzbequistão, já garantido ao menos na repescagem, manterá suas esperanças de ir à primeira Copa contra o eliminado Qatar.

Já no Grupo B, o Japão ganha folga para ver as outras seleções se digladiarem. A outra vaga direta está bastante próxima da Austrália. Os Socceroos somam 10 pontos, um a mais que Omã, e recebem o eliminado Iraque em casa com o direito até de perder, caso os omanis também tropecem na rodada. Situação tão ou mais favorável quanto a desta terça, quando atropelaram a Jordânia por 4 a 0.

Enquanto isso, os jordanianos recebem os omanis em Amã, em confronto que provavelmente designará o time na repescagem. Um empate beneficia Omã, no encontro de dois países que sonham com a participação inédita no Mundial. E se a repescagem for mesmo o destino, além de vencer o terceiro colocado do Grupo A, a seleção precisa bater também o quinto colocado das eliminatórias da América do Sul. Caminho bastante complicado.